|
  • Bitcoin 121.113
  • Dólar 5,0855
  • Euro 5,2421
Londrina

Folha Rural

m de leitura Atualizado em 25/06/2022, 11:02

Previsão do Ipea é crescimento nulo para agropecuária em 2022

Instituto prevê estabilidade no setor, após crescimento de 1% em março; piora se dá na projeção da colheita de soja

PUBLICAÇÃO
sábado, 25 de junho de 2022

Ana Cristina Campos - Agência Brasil
AUTOR autor do artigo

Foto: iStock
menu flutuante

 Rio de Janeiro - O Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) divulgou na terça-feira (21) a revisão da projeção do VA (valor adicionado) do setor agropecuário de 2022, que passou de crescimento de 1% em março para estabilidade, ou seja, crescimento nulo no ano.

Revisão do PIB do agro se dá pela piora na colheita de soja feita pelo IBGE Revisão do PIB do agro se dá pela piora na colheita de soja feita pelo IBGE
Revisão do PIB do agro se dá pela piora na colheita de soja feita pelo IBGE |  Foto: iStock
 

Segundo o Ipea, a revisão do (PIB) Produto Interno Bruto do setor foi motivada pela piora na projeção da colheita de soja feita pelo Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, do IBGE ( Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), de queda de 12,1%, ante recuo de 8,8% anteriormente divulgado.

No caso do valor adicionado da produção vegetal, um dos componentes do setor, a revisão foi de alta de 0,3% para redução de 0,9%; e na produção animal, a estimativa era de crescimento de 2,9%, ante previsão de alta anterior de 3%.

Soja

A redução da produção de soja é parcialmente contrabalançada pelo bom desempenho esperado para outras culturas como milho e café. O milho deve apresentar crescimento de 27,6% em sua produção. A segunda safra de milho, que começa a ser colhida neste trimestre, tem previsão de crescimento de 38,9%. Caso mantenha o desempenho, o grão deve ser o principal responsável por compensar a queda no valor adicionado da soja.

Bovinos

Na produção animal, apesar da melhora na projeção para o setor de bovinos, o resultado foi motivado por uma estimativa menor para a produção de leite, o segmento com a maior contribuição negativa do componente, cuja revisão foi de alta de 0,2% para queda de 3,8%, devido ao desempenho negativo no primeiro trimestre (queda de 10,3% na aquisição de leite no primeiro trimestre em relação a igual período do ano anterior), de acordo com dados do IBGE.

Ovos

A produção de ovos também teve resultado negativo no primeiro trimestre. “Para os demais segmentos, o primeiro trimestre foi positivo, com destaque para a produção de bovinos, cuja estimativa de crescimento foi revista de 3,8% para 4,6%. No caso dos suínos, a previsão é de crescimento de 4,5% para alta de 4,7%. Para a produção de aves, o resultado do primeiro trimestre veio abaixo do que esperavam e, por isso a previsão para o ano foi revista de crescimento de 3% para alta de 1,9%”, diz o Ipea.

Receba nossas notícias direto no seu celular, envie, também, suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1