Em novembro, o início da safra causou redução de 3,9% no preço pago ao produtor pelo leite comercializado em novembro. A queda é equivalente a cerca de R$ 0,03 em relação ao mês anterior. Com isso, o litro foi vendido, em média, a R$ 0,8542. O levantamento, promovido pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Esalq-USP, se refere à produção entregue em outubro e contabiliza uma média ponderada pela produção dos estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Bahia.
O aumento da produção registrado no Sudeste e Centro-Oeste do País e a queda de preços de leite longa vida são apontados como motivadores da queda nos preços. Em relação a novembro do ano passado, o preço médio do leite está 12,7% superior, já descontada a inflação do período. No mercado de leite spot, comercializado entre as indústrias, houve uma queda entre 5% e 7% nos preços negociados entre a primeira e a segunda quinzenas de novembro. De acordo com a secretária executiva do Conselho Paritário de Produtores e Indústrias de Leite do Paraná (Conseleite), Maria Silvia Digiovani, essa desvalorização do leite spot indica aumento de produção.
A expectativa de 83% dos representantes de laticínios e cooperativas é de que os preços permaneçam em queda em dezembro, referente à produção entregue em novembro. Para os 17% restantes, deve haver estabilidade de preços. Já o Índice de Captação de Leite (ICAP-Leite/Cepea) se manteve praticamente estável entre setembro e outubro deste ano, com leve recuo de 0,15%, considerando-se a média dos sete estados. Em comparação ao mesmo período de 2010, o índice teve redução de 1,4%.
Mesmo diante dessa redução nos preços, Maria Silvia avalia que o ano foi positivo para o segmento. ''O mercado interno aquecido e o pequeno aumento na produção resultaram em um equilíbrio entre oferta e demanda. Assim, 2011 foi um ano de bons preços para a cadeia leiteira'', analisa. Um levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra um aumento de 2,65% na produção nacional de leite no segundo trimestre de 2011, em comparação ao mesmo período de 2010. No Paraná, o acréscimo na produção foi de 3,96%.
Maria Silvia, que é engenheira agrônoma do Departamento Técnico e Econômico da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), lembra que a situação não seria positiva se a cadeia produtiva de leite dependesse do mercado internacional. ''O câmbio facilitou as importações, que bateram recorde este ano, e praticamente impossibilitou as exportações. O que salvou o segmento foi a alta demanda do mercado interno brasileiro'', argumenta.
Paraná
Em contrapartida, o final da safra de inverno na região Sul resultou em queda de 3,5% na captação de leite. Mesmo com a redução da oferta, não foi possível evitar o recuo de preços, que ocorreu de forma menos intensa ao restante do País. Em novembro, a redução do valor pago ao produtor no Paraná foi de 1,1%, aproximadamente R$ 0,01 por litro, sendo comercializado a R$ 0,8594/litro (valor bruto).
Para a secretária executiva do Conseleite Paraná, a avaliação feita pela entidade foi de estabilidade nos preços praticados no mês. Segundo ela, a redução de cerca de R$ 0,02 por litro só será notada pelos produtores paranaenses em dezembro, referente à produção de novembro. ''A competição de mercado, reflexo do aumento da captação feita no Sul e Sudeste, interfere nos preços praticados no Paraná'', esclarece Maria Silvia.

Imagem ilustrativa da imagem Preço do leite cai em novembro