Paraná conquista chancela de zona livre da peste suína clássica


Reportagem local
Reportagem local

 

Paraná conquista chancela de zona livre da peste suína clássica
Arquivo FOLHA
 



A boa notícia veio esta semana para os suinocultura paranaense. Na última quarta-feira (10), a OIE (Organização Mundial da Saúde Animal) concedeu ao Paraná a chancela de zona livre da peste suína clássica. Essa classificação retira o Estado de um grupo formado por 14 outros estados e garante vantagens sanitárias aos produtores locais no mercado internacional. 


O reconhecimento já havia sido concedido ao Paraná em 2016 pela OIE, mas ainda está pendente a chancela como zona única. 


Em 2021, a produção da suinocultura paranaense deve chegar a 950 mil toneladas de suínos, se aproximando cada vez mais de Santa Catarina, maior produtor do País. "Isso nos dá um novo status sanitário. Possivelmente daqui a dois ou três anos seremos o maior produtor do País”, destaca o diretor-presidente da Adapar (Agência de Defesa Agropecuaria do Paraná), Otamir Cesar Martins.


DOENÇA

A peste suína clássica é uma doença viral e está incluída na lista de notificação obrigatória pela OIE por ser de fácil difusão. Ela acomete somente suínos e não é transmitida para o ser humano. Os sinais clínicos mais comuns são transtornos circulatórios e lesões cutâneas, acompanhadas de conjuntivite em animais adultos e distúrbios neurológicos em suínos jovens. O animal também pode apresentar febre alta, paralisia nas patas traseiras e manchas avermelhadas pelo corpo. (Com informações da AEN)



Receba nossas notícias direto no seu celular. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1


Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo