Londrina terá 35 leilões este ano Expectativa da Sociedade Rural do Paraná é faturar R$4,7 milhões só com a venda de animais Cláudia Barberato De Londrina ‘‘Vitrine das raças’’, ‘‘Capital do cruzamento industrial’’, ‘‘A Exposição mais completa’’, são títulos que a Sociedade Rural do Paraná, promotora da exposição agropecuária de Londrina quer manter todo ano. Os títulos são usados para explicar a alta concentração de animais europeus e zebuínos durante o evento, diferente de outras feiras agropecuárias de grande porte no País que não apresentam essa diversidade e têm exposições específicas ou de europeus ou de zebuínos. Neste ano a feira comemora 40 anos e quer superar os números de 99. Para a 40ª Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina, que acontecerá no Parque Ney Braga de 6 a 16 de abril, a expectativa é reunir 13 mil animais (bovinos, equinos, suínos, ovinos e outros animais), a maioria estará em julgamento e leilão. O número é 30% superior ao do ano passado. O faturamento, só com a venda em leilões, deverá beirar os R$5 milhões (em 99 foram R$4,7 milhões). Estão programados 35 leilões, oito a mais do que em 99. A estimativa total de comercialização da feira é de R$27 milhões. A Sociedade Rural do Paraná espera um público de 800 mil pessoas. Serão 510 expositores. Estarão à venda nos leilões e para avaliação em julgamento bovinos das raças limousin, belgian blue, brangus, canchin, gelbvieh, braford, caracu, tabapuã, nelore, guzerá, simental, charolês, aberdeen angus, marchigiana, blond d‘aquitaine, pardo suíço, holandês, tropicana, beef master, normando, chianina, santa gertrudis, hereford, brahman e girolando. Haverá também participação de equinos (pônei, paint horse, árabe, appaloosa e mangalarga), ovinos (ille de france, suffolk, texel e hampshire down), e suínos (landrace, large white, duroc, pietrain e cruzados). Aperfeiçoamento técnico Estão programados cursos e palestras voltados para agricultores, pecuaristas e técnicos. Destaque para o Encontro Estadual de Café, que acontece no momento em que a cafeicultura paranaense está voltando a ocupar posição de destaque no cenário nacional, principalmente pela qualidade do produto. O departamento animal da Sociedade Rural programou também cursos técnicos voltados para produtores, técnicos, tratadores de animais e estudantes das áreas de Veterinária, Agronomia e Zootecnia. Para estudantes o destaque é o curso ‘‘Julgamento de Zebuínos’’, que habilita acadêmicos a ingressar em pista de julgamento; num primeiro passo para a carreira de juiz. Os participantes recebem certificado reconhecido pela Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ) e se estiverem no último ano, ganham a carteirinha de jurado auxiliar. Programado também o curso de ‘‘Casqueamento de Animais’’, com objetivo de ensinar aos tratadores a técnica correta de casqueamento e os cuidados que podem ser tomados até um dias antes do julgamento dos animais para obter a melhor pontuação em pista. ‘‘Eficiência Reprodutiva e Sinais Externos de Subfertilidade’’, será outro curso ministrado este ano. Segundo o departamento animal da Sociedade Rural, o curso trata da seleção de matrizes melhoradoras dos índices de reprodução e de fertilidade de um rebanho. O conteúdo interessa a criadores, tratadores, acadêmicos e técnicos. ‘‘Apresentação de Animais e Pista’’, para tratadores, também será ministrado durante a feira. O tema abrange desde a escolha do animal para exposição até o manejo, exigências sanitárias e apresentação para o julgamento. Via Rural Conhecida como fazendinha, a Via Rural funciona como um centro de capacitação para os produtores rurais, coordenada pela Sociedade Rural do Paraná, Emater e Instituto Agronômico do Paraná. Durante a exposição, nos 10 mil metros quadrados da área, serão montadas unidades expositivas de agroindústrias que vão demonstrar como é possível agregar renda ao produto agrícola. Mesmo fora do período de exposições os produtores rurais podem conhecer na fazendinha técnicas relativas ao cultivo de flores e plantas, fruticultura, reflorestamento econômico, café adensado, apicultura e plantas medicinais, entre outros. Este ano, uma das unidades trará uma plantação de girassóis, demonstrando desde o cultivo à extração do óleo. Também para mostrar como é possível agregar valor à produção, haverá a demonstração de uma fabriqueta de vassouras. Ruraltech A parceria entre Sociedade Rural do Paraná e Adetec, para realização da Ruraltech, evento paralelo, tem objetivo de aproximar os produtores rurais de novas tecnologias. A Ruraltech consiste na Exposição de Tecnologia Agrícola no Pavilhão Internacional, Mostra Competitiva que vai distribuir R$18 mil em prêmios a projetos com o tema ‘‘Soluções para Agregar Valor à Empresa Rural’’ e seminários técnicos como a ‘‘Rodada do Milênio’’ e ‘‘Avaliação das Safras 99/2000’’, de vários produtos agrícolas. Rodeio Outro evento que deverá chamar público para a Exposição de Londrina será a etapa final do Campeonato Nacional de Rodeio Completo. Dos 1.200 competidores que participaram das etapas anteriores, apenas 90 foram classificados para a final, nas seguintes modalidades: montaria em touro, montaria em cavalo cutiano, montaria em cavalo, bareback, montaria em cavalo sela americana, laço de bezerro, laço em dupla, bulldogging e três tambores. A premiação do campeonato é atraente: nove camionetes zero km, nove fivelas exclusivas da Federação Nacional de Rodeio Completo, nove selas da Quarto de Milha, R$200 mil reais para os classificados e US$ 3,5 mil do prêmio CMT Cowboy Completo.