Pensar no futuro do agronegócio – como propõe a 17ª edição da Expocop – passa, inevitavelmente, em cuidar do meio ambiente e investir na sustentabilidade no campo. No dia 4 de setembro, os produtores que forem até a feira poderão se inteirar acerca do Cadastro Ambiental Rural (CAR), do novo Código Florestal, por meio de uma palestra elaborada pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP).
Os produtores têm até maio de 2015 para realizar o cadastramento dos imóveis rurais. O decreto prevê que os proprietários devem se inscrever por meio do Sistema de Cadastro Ambiental Rural (Sicar), programa de computador desenvolvido pelo governo federal. Com todas as informações, o próprio Sicar vai apontar se há ou não necessidade de recuperação de áreas de preservação permanente (APP) ou reserva legal.
De acordo com o palestrante do evento, Devanil José Bonni, chefe do núcleo regional do IAP que abrange 23 municípios do Norte do Paraná, o Estado tem 532,8 mil imóveis que deverão se cadastrar no CAR até o ano que vem. "Muitos já ouviram falar do cadastramento, mas ele ainda não está acontecendo de forma efetiva. O produtor precisa ficar atento sobre a importância disso", diz.
O IAP fica responsável por homologar esses cadastramentos, que serão realizados por entidades parceiras como o Instituto Emater, Seab, Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), cooperativas, entre outras. "A partir daí serão firmados termos de compromisso e o IAP vai passar a monitorar o cumprimento desses termos junto ao produtor. Queremos fazer isso o mais rápido possível para que eles não tenham problemas no futuro", salienta Bonni.
Ele lembra ainda que, em cinco anos, quem não tiver realizado o CAR não terá acesso, por exemplo, ao crédito rural. "Isso pode dificultar a vida deles no futuro. Hoje, por exemplo, aqueles que não realizaram o cadastramento não podem cortar uma árvore ou mesmo desmembrar um imóvel. É uma questão de necessidade", complementa. (V.L.)

Imagem ilustrativa da imagem Expocop também discute meio ambiente