Estradas devem fomentar turismo e agro em Ribeirão Claro

Vias que ligam Patrimônio dos Abreus a dois municípios recebem pavimentação; região é polo turístico no Norte Pioneiro

Reportagem local
Reportagem local

A terra batida começa a receber nova pavimentação, com pedras poliédricas. Obra será concluída em 2021
A terra batida começa a receber nova pavimentação, com pedras poliédricas. Obra será concluída em 2021 | Gilson Abreu/AEN
 


Apaixonados por turismo rural terão mais um motivo para visitar o Patrimônio dos Abreus, no município de Ribeirão Claro, no Norte Pioneiro. A localidade é responsável por movimentar uma fatia considerável da economia da cidade e da região. É de lá que saem o frango, leite, carne, milho e café, entre outros itens, que abastecem uma parte do Paraná. Duas estradas rurais da localidade, estão passando por uma reestruturação e a terra batida começa a receber  nova pavimentação, com pedras poliédricas. 


Serras, rios e cachoeiras rodeiam as duas importantes estradas rurais que passam por reestruturação e que funcionam como  artérias de escoamento da produção e caminho para alguns dos mais importantes pontos turísticos do município.  A previsão de conclusão da pavimentação dos 2,6 quilômetros de terra é para o primeiro semestre do ano que vem. O investimento por parte do governo do Paraná é de R$ 800 mil. A informação é a AEN (Agência Estadual de Notícias).  




“Ao melhorar a infraestrutura das zonas rurais estamos incentivando o agronegócio, fazendo com que os pequenos agricultores tenham mais condições para produzir", comentou o governador Ratinho Junior, por meio da assessoria de imprensa. “Devemos sempre lembrar que o agronegócio é responsável por aproximadamente 35% do PIB do nosso Estado”, acrescentou.


 Os Abreus são quase como uma cidade. Estrada, igreja, comércio, há muita opção por ali. Mas há um trânsito intenso dos moradores do patrimônio às cidades de Ribeirão Claro e Carlópolis. A região é importante polo turístico e a pavimentação de  600 metros na estrada dos Abreus e de outros 2.200 metros que ligam a localidade até o bairro da Água da Mula deve ajudar a atrair mais viajantes.

Elisângela Rojas: “O acesso à cidade melhora muito porque não ficaremos mais refém do clima. Também poderemos sair em dias de chuva"
Elisângela Rojas: “O acesso à cidade melhora muito porque não ficaremos mais refém do clima. Também poderemos sair em dias de chuva" | Gilson Abreu/AEN
 


“O acesso à cidade melhora muito porque não ficaremos mais refém do clima. Também poderemos sair em dias de chuva. O que temos hoje é muito barro, buraco e pó. Complica muito a nossa vida”, afirmou à AEN  a agente de saúde Elisângela Rojas. “Vai ficar tudo muito bom, acabar com as reclamações de quem precisa passar por ali”, acrescentou a aposentada Inês Maria Felisbina dos Santos.


Moradora de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, a aposentada Dolfina Correia Seni está em isolamento desde março nos Abreus, instalada na casa da irmã por causa da pandemia. Ela acrescentou um novo item que virá a reboque da reestruturação da via. “Atualmente está bem ruim, com buracos, desmanchando. Faço caminhada ali e é perigoso alguém se machucar. A pavimentação acaba por resolver tudo isso”, ressaltou.


48 municípios

 De acordo com a Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, o Governo do Estado mantém atualmente 59 convênios para pavimentação ou readequação de estradas rurais em todas as regiões do Paraná. Somadas, as ações chegam a R$ 46 milhões.


Já foram contemplados 48 municípios dentro dessa estratégia de melhorar o escoamento da produção rural e o cotidiano das famílias que vivem no campo, totalizando cerca de 185 quilômetros.


A iniciativa faz parte do Programa Estradas Rurais Integradas aos Princípios e Sistemas Conservacionistas – Estradas da Integração, gerenciado pelo Deagro (Departamento de Desenvolvimento Rural Sustentável).


O programa será ampliado com o financiamento de R$ 1,6 bilhão que o Governo do Estado captou junto ao Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. A operação foi finalizada no mês passado. Pelas projeções, cerca de R$ 126 milhões serão destinados a obras de reestruturação nas vias do campo.




“O Paraná é tão grande e forte por causa do agronegócio. Essas pavimentações vão permitir que o trânsito na zona rural ocorra em qualquer tipo de condição climática”, explica o chefe do núcleo da Secretaria da Agricultura na região, Fernando Emanuel Gonçalves Vieira.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Tudo sobre:

Últimas notícias

Continue lendo