Produção de soja
Será realizado na próxima quinta-feira, na Associação dos Engenheiros Agrônomos de Londrina (AEA/LD), o curso Tecnologias para Produção de Soja, com promoção da Embrapa, em parceria com o Iapar e o Crea-PR. Os trabalhos começarão às 8 horas e englobarão três painéis com os temas Agronegócio e Perspectivas, Sanidade Vegetal e Oficina sobre Identificação de Lagartas, Percevejos e Inimigos Naturais. As inscrições custam R$ 30 para sócios e R$ 70 para não sócios da AEA/LD. Mais informações pelo telefone (43) 3341-2200.

Fitopatologia
Produção agrícola com qualidade, sustentabilidade e segurança alimentar vão nortear os debates do 47º Congresso Brasileiro de Fitopatologia, que acontece de 17 a 22 de agosto, no Centro de Eventos de Londrina. Pesquisadores do Brasil e exterior promovem reflexões sobre como as inovações podem permitir que a agricultura supra a demanda mundial de alimentos, enfrentando a ameaça de doenças com tecnologias apropriadas e obtendo maior rendimento por área cultivada. A promoção é da Sociedade Brasileira de fitopatologia e realização da Universidade Estadual de Londrina, Embrapa Soja e Iapar. Outras informações no site www.cbfito2014.com.br.

Proteína
Os exportadores brasileiros de carne suína estão se beneficiando da atual conjuntura do mercado mundial, com redução da oferta e aumento de preços. O preço médio internacional da proteína subiu 36,01% em julho, elevando o valor da tonelada a US$ 3.401, em relação a US$ 2.501 no mesmo período de 2013. Com isso, as vendas externas, no mês passado, totalizaram US$ 139,37 milhões, aumento de 10,49% na comparação com julho de 2013. No acumulado do ano, a receita já atinge US$ 838,24 milhões, crescimento de 10,82% ante igual intervalo de 2013. Nos sete primeiros meses do ano, o Brasil exportou 276.830 toneladas.

Imagem ilustrativa da imagem DIRETO DO CAMPO
| Foto: Divulgação
Tabaco
Muito aguardada pelo setor, a publicação no Diário Oficial da União das Normas Técnicas Específicas (NTEs) para a produção de tabaco deverá conferir ao produto brasileiro chancela diferenciada no mercado internacional. Publicadas na última segunda-feira, as NTEs serão um guia de como produzir, colher e beneficiar o tabaco no País. Aprovadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), as normas serão agora encaminhadas ao Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) que credenciará as certificadoras.
Sustentabilidade
Segundo Iro Schünke, presidente do SindiTabaco, o projeto Pitab iniciou em 2008, culminando com a entrega da documentação ao Mapa em julho de 2010. "De lá para cá, temos aguardado esta publicação. O tabaco já é produzido de forma sustentável, mas reconhecemos que nos falta um selo oficial, como já acontece com outras culturas. Ainda há muito mitos relacionados ao setor, que perpetuam sem embasamento em dados oficiais. Esta também será é uma forma de contrapor ataques sem fundamento", afirmou Schünke, citando que "a adesão por parte dos produtores e da indústria é voluntária, caracterizando-se como um diferencial competitivo".