Imagem ilustrativa da imagem DIRETO DO CAMPO
| Foto: Anderson Coelho/04-04-2014
Estoques públicos
Técnicos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) deram início à quinta etapa de fiscalização de estoques públicos. As vistorias ocorrem nos estados de Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, São Paulo e Tocantins. Os trabalhos prosseguem até dia 26 de julho e envolvem 14 profissionais. A expectativa da Companhia é fiscalizar 1,75 milhão toneladas de grãos entre milho, trigo, café, feijão e arroz, em 114 armazéns próprios e credenciados do país. Os produtos foram comprados por meio de Aquisição do Governo Federal (AGF) e Contrato de Opção, entre outras modalidades de compras públicas executadas pela Conab.
Armazenagem
Os fiscais observam, entre outros quesitos, as condições de armazenagem, conservação e a quantidade de grãos armazenados. Até o final deste ano, outras quatro rodadas de fiscalizações estão programadas, além das operações especiais conforme demandas dos programas operados pela Companhia. Nas quatro primeiras etapas de 2014, foram fiscalizadas 6,32 milhões de toneladas em 802 armazéns, sendo verificado um desvio de 33,14 mil toneladas de milho em armazéns no Mato Grosso e Goiás. A armazenadora que praticou o desfalque está impossibilitada de operar com a Conab por dois anos e terá que restituir o estoque inicial em dinheiro ou em produto.



Funcafé
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) assinou quatro novos contratos com agentes financeiros para repasses de recursos do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé), no valor de R$ 594 milhões, aprovados pelas resoluções do Conselho Monetário Nacional (CMN) 4.325/14 e 4.340/14. Os contratos financiarão operações de custeio (R$ 544 milhões), estocagem (R$ 812 milhões), aquisição do café (FAC - R$ 368 milhões), capital de giro para indústrias de torrefação (R$ 6 milhões), de café solúvel (R$ 17 milhões) e cooperativas de produção (R$ 79 milhões), totalizando R$ 1,826 bilhão.

Agricultura familiar
O valor aplicado pelos agricultores familiares na safra 2013/14 foi 6,11% acima do valor anunciado e disponibilizado pelo governo federal no Plano Safra. O total foi de R$ 22,3 bilhões, em 1,9 milhão de contratos feitos pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Os números correspondem ao período de 1º de julho de 2013 a 30 de junho de 2014. Dos R$ 22,3 bilhões, R$ 3,3 bilhões foram financiados por mulheres, um recorde em comparação a safras anteriores. Nessa safra, as agricultoras fizeram mais de 500 mil contratos, o que equivale a 27% das operações financiadas.

Investimento e custeio
Os agricultores aplicaram R$ 12,7 bilhões em investimento (57% do valor), enquanto R$ 9,5 bilhões (43%) foram para custeio no período. Do total de contratos, 1,2 milhão foram de investimento, o que representa 66% dos contratos, e 643 mil foram para operações de custeio. Na safra 2013/14, R$ 12 bilhões foram destinados à produção agrícola, com mais de 986 mil contratos. Já o valor financiado para a atividade pecuária atingiu R$ 10,2 bilhões, em mais de 917 mil contratos.