Com a elevação dos preços das commodities agrícolas, principalmente o milho, os custos de produção estão acima dos valores pagos aos produtores de ovos. Arnaldo Cortez, presidente da Associação Paranaense de Avicultura (Apavi), explica que para se produzir uma caixa com 30 dúzias, o produtor gasta, em média, R$ 43. Em contrapartida, ele está recebendo em média R$ 41.
Entretanto, Cortez está otimista e espera que os preços melhorem nos próximos meses. ''Quando o valor está ruim, o produtor aumenta o volume de descarte nas granjas'', explica. Com esse procedimento, revela Cortez, há uma redução na oferta do produto, pressionando os preços . ''Estamos vivendo um momento com alto índice de descarte na granja'', completa o presidente da Apavi. Isso, na opinião dele, logo irá refletir nos preços.
Cortez admite que os únicos produtores que estão no lucro neste momento, são aqueles que conseguiram estocar milho. ''Os pequenos e médios que não têm a oportunidade de fazer estoques, são os mais atingidos pelo mercado'', aponta. Gilberto Marutani, produtor da região de Arapongas, é um dos que estão sofrendo com a alta dos insumos.
Marutani, que está há 56 anos na atividade, produz 800 caixas de ovos por dia, cada uma contendo 30 dúzias. O seu custo de produção para cada dúzia de ovos está em torno de R$ 1,80. ''No atacado, não consigo vender por mais do que R$ 1,60'', lamenta. Por enquanto, o produtor está mantendo o seu plantel de 350 mil aves com recursos próprios.
Para ele, as expectativas para os próximos meses não são nada animadoras. ''Devido às festas de final de ano, o consumo diminui, o que acarreta queda de preços'', enfatiza.
Oscar Hawashida, também produtor da região de Arapongas, acrescenta que o custo da ração está muito valorizada. Para garantir um equilíbrio de renda em sua granja, ele diversifica suas vendas entre a indústria e o mercado in natura. Porém, explica que mesmo com um índice de preços pagos aos produtores abaixo dos custos de produção, os valores recebidos pelos avicultores vêm sofrendo pequenos reajustes.
Dados do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab), mostram que de janeiro a setembro deste ano, o preço da caixa com 30 dúzias passou de R$ 35,09 para R$ 44,22. De janeiro a setembro de 2010, o preço pago variou de R$ 29,83 para R$ 35,31. (R.M.)

Imagem ilustrativa da imagem Depreciação do produto desanima produtores