Os pesquisadores reunidos na 22ª Reunião de Pesquisa de Soja do Brasil Central, realizada de 28 a 30 de setembro, em Cuiabá, recomendaram pela primeira vez o tratamento de sementes para o controle do tamanduá da soja, um inseto que tem causado grandes prejuízos em lavouras do sudoeste do Paraná. Esta técnica protege a planta contra os ataques da praga nos primeiros trinta dias após a germinação, período em que a planta fica mais suscetível à danos.
‘‘Em média, eram feitas de cinco a seis aplicações de inseticidas sobre a planta. E essa recomendação é importante porque vai evitar os custos e riscos de aplicação ao produtor e meio ambiente, já que os produtos antes utilizados são bastante tóxicos’’, explica Ivan Carlos Corso, pesquisador da Embrapa.
Mais de 100 instituições ligadas à agricultura participaram, em Cuiabá, desta reunião que definiu as recomentações técnicas para a cultura na safra 2000/2001.
Também foram lançadas quatorze cultivares indicadas para plantio nos estados do Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Mato Grosso e Bahia. Os destaques são a BRS Flora e a BRS Nina, indicadas para Goiás, que têm o ciclo precoce, permitindo o cultivo de safrinhas como o milho e o sorgo, que favorece a rotação de culturas. Outras vinte cultivares tiveram suas recomendações de plantio estendidas para outros estados.(C.C.)