Brasil tem poucos exportadores Jota Oliveira Da Editoria O Brasil tem 15.000 exportadores e 27.000 importadores, segundo a secretária de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento da Indústria e comércio, Lytha Spindola. Embora os números pareçam expressivos, apenas 50 empresas são responsáveis por 40% e 200 rspondam por mais de 60% das exportações nacionais. Em entrevista domingo à Tevê Senado, a secretária disse que o uso da Internet poderá melhorar a situação. Lytha destacou que os produtos mais afetados pelas barreiras técnicas são o suco de laranja, o café, a carne (os importadores alegam que ainda existem no Brasil doenças como a aftosa, dos bovinos, e a newcastle das aves). O mundo vive uma onda de protecionismo, mas o Brasil já se abriu à economia mundial, euquanto países ricos criaram mais barreiras. A Europa, por exemplo, nem quer discutir a questão agrícola. Por isso, ela entende que é preciso reabrir a Rodada do Milênio, onde o Brasil terá que dizer: ‘‘Não temos que abrir mais nada. Precisamos agora ter reciprocidade’’. Deduz-se que o Brasil precisa ser mais agressivo em suas relações no mercado internacional. Uma das ferramentas para forçar o novo caminho que o Brasil procura é o marketing. A Secretária de Comércio Exterior disse que o trabalho já está em andamento, para melhorar a imagem dos produtos brasileiros ‘‘lá fora’’. Por exemplo, para frutas já está sendo executado um projeto. O Itamarati é que faz isso através do Departamento de Promoção Comercial e das Embaixadas, entre elas a representação diplomática brasileira em Londres, que começou com móveis, convidando potenciais clientes (atacadistas), como apoio aos produtores brasileiros selecionados, para vender móveis brasileiros na inglaterra. ‘‘Nossa postura precisa ser cada vez maiais objetiva’’, disse a Secretária do Comércio Exterior.