Área deve dobrar este ano no PR Produtores estão estimulados pelos bons resultados alcançados no ano passado e devem plantar mais Lucinéia Parra De Maringá O resultado satisfatório obtido pelos produtores de canola no ano passado, estimulou novos agricultores e a expectativa da Cooperativa dos Cafeicultores e Agropecuaristas de Maringá (Cocamar) é de que a área plantada da cultura este ano seja o dobro de 99. De acordo com o volume de sementes de canola já importado do Canadá, o cultivo no Paraná deve passar dos 6,8 mil hectares em 99 para 11 mil hectares este ano. ‘‘Há uma boa perspectiva de melhores resultados em relação ao milho safrinha e também em relação ao trigo, por isso os produtores estão apostando no cultivo da canola’’, explica o engenheiro agrônomo Antonio Sacoman. Ele garante que toda produção será absorvida pela Cocamar, para a fabricação do óleo de canola que é comercializado em vários estados brasileiros com a marca ‘‘Suavit’’. Vantagens De acordo com Sacoman, as vantagens da canola em relação ao trigo e ao milho safrinha é basicamente a sua maior resistência às baixas temperaturas. ‘‘A canola oferece maior liquidez e além disso, o produtor tem segurança de comercialização para a cooperativa tão logo termine a colheita, o que não acontece com o trigo que depende dos leilões do governo para vender sua produção’’. Segundo ele, os produtores que investiram na canola ano passado tiveram melhores rendimentos porque a cultura foi menos atingida pela seca. Enquanto a perda da produção de canola ano passado ficou em 22%, com o trigo o prejuízo foi ainda maior: cerca de 30%. Com o milho safrinha, explica Sacoman, a perda foi ainda maior nas áreas de baixada. Apesar da previsão de frio rigoroso para este ano, a expectativa é de que a produtividade da canola supere a do ano passado, quando foi colhido uma média de 2 mil quilos por hectare. A semente importada do Canadá é o híbrido Hyola 401, considerada uma das mais resistentes à baixa temperatura. Segundo Sacoman, os problemas com a cultura da canola que desestimularam os produtores da região na primeira tentativa da Cocamar de introduzir a cultura no Brasil, com a importação de sementes provenientes da Argentina, já não existem. ‘‘As sementes importadas da Argentina realmente não se adaptaram no Brasil, mas desde 1992 estamos importando híbridos do Canadá que são bem mais resistentes’’, garantiu. Exigente Para o plantio da canola, Sacoman explica que são necessários alguns cuidados especiais. Um deles é a correção do solo. ‘‘A canola é um cultura muito exigente com relação a fertilidade do solo, por isso a área a ser plantada deve estar devidamente corrigida para que o produtor tenha êxito’’. Os novos produtores que vão introduzir a cultura nas suas propriedades este ano, vão receber uma orientação especial de técnicos especializados no cultivo da canola. No total serão 200 produtores de vários municípios do Paraná que estarão cultivando a canola este ano. No ano passado eram apenas 130 produtores. De acordo com Sacoman, nos últimos anos há um crecimento firme do plantio da canola e isso ocorre em função do interesse cada vez maior dos consumidores em geral pelo óleo de canola. ‘‘O óleo de canola que a Cocamar produz não é suficiente para abastecer o mercado nacional, por isso a cooperativa tem condição de absorver toda produção sem problema’’. A época do plantio recomendado pelos técnicos é em abril, mas pode se estender até 10 de maio. A colheita ocorre em agosto.