Aparecido maldonado Galves Vânia Moreira De Umuarama Alternativa Horta aumenta renda familiar Produção de pepino, pimenta, tomate e outros estão incrementando a renda de pequenos produtores no Noroeste Uma parceria entre a Secretaria de Agricultura e os produtores rurais de Umuarama, no Noroeste do Estado, aumentou a produção de hortifrutigranjeiros e está melhorando a renda de famílias que ainda moram no campo. Pequenos agricultores que viviam apenas do café e da pecuária agora estão plantando feijão, milho, pepino, pimenta e tomate em escala comercial. As famílias entram com o trabalho, enquanto o município fornece mudas, insumos, assistência técnica e, em alguns casos, ajuda a comprar equipamentos. O município também ajuda a criar canais de comercialização nas feiras do produtor e indústrias de alimentos. As safras de pepino, por exemplo, são vendidas para a Indústria Zaeli para fabricação de conserva. Famílias inteiras aderiram ao projeto, batizado de Cinturão Verde; criaram minicooperativas e passaram a dividir o trabalho e os lucros da produção. Em Placa União, em Umuarama, 10 agricultores se associaram e estão produzindo pepino para conserva. Boa lucratividade A prefeitura de Umuarama ajudou nas duas primeiras safras. Custeou parte do equipamento de irrigação, forneceu mudas, insumos e assistência técnica, mas os produtores já se preparam para bancar a atividade sozinhos. Em duas safras, o grupo já colheu cerca de quatro toneladas de pepino, o que rendeu um lucro médio de R$1, 5 mil para cada produtor. A associação de Placa União é formada basicamente pela família Galves, p’roprietária de 69 alqueires na localidade. São o patriarca José Galves, 73 anos, cinco filhos e dois genros dele. Outros três agricultores vizinhos também aderiram à sociedade. As plantações são cultivadas no sítio de Galves. Todos os membros das famílias associadas trabalham no plantio e colheita da safra, dividem as despesas e os lucros. Durante a colheita, até as crianças vão para a roça. Aparecido Maldonaldo Galves, 41 anos, conta que todos os associados viviam basicamente do café e pecuária leiteira. ‘‘O pepino ocupa pouco espaço, produz a cada 70 dias e dá muito mais lucro. Juntando com as outras atividades , vamos ter uma renda melhor para sustentar a família e ainda vai sobrar um dinheiro para continuar investindo na propriedade’’, comemora. Toda a produção é vendida para a fábrica de alimentos Zaeli, para fazer conserva. O mesmo sistema de produção funciona na Vila Rural São Carlos, no distrito de Lovat. Trabalho para todos Em Serra dos Dourados, o produtor Romildo Spoton e outros cinco irmãos plantaram este mês 6 mil pés de tomate. A produção de legumes garante trabalho para os quase 20 membros da família. ‘‘Estamos vendendo tudo que produzimos por aqui e ganhando um bom dinheiro’’, comemora Spoton. Verduras e legumes são vendidos nas feiras do produtor ou para supermercados da cidade. Cerca de 50 pequenos agricultores estão integrados ao projeto. Segundo a Secretaria Municipal de Agricultura, através do Projeto Cinturão Verde já foram plantados este ano 25 hectares de milho, 300 mil mudas de pepino, 23 mil de pimenta e 8,6 mil de pimenta. Os produtores já colheram mais de 100 toneladas e pepino, 30 toneladas de pimenta e 24 mil dúzias de milho verde. O tomate ainda está em fase de maturação. O secretário da Agricultura Edson Bastos, diz que o projeto ainda está funcionando em caráter experimental com produtores da região de Serra dos Dourados e moradores da Vila Rural de Lovat. A intenção, de acordo com Bastos, é estender o projeto para todo o município e diversificar os produtos.