NetdealEvents

Regina Duarte e cinemateca com tubaína


Bruno Codogno e Lara Bridi (estagiários)
Bruno Codogno e Lara Bridi (estagiários)

 

#Toledo 

Os vídeos de uma jovem blogueira de Toledo, no Paraná, deram repercussão para a cidade no Twitter na terça-feira (19). Os comentários feitos pela blogueira foram alvos de critica por frases xenofóbicas. Com a repercussão do conteúdo, moradores de Toledo levantaram o tópico no Twitter para ressaltar pontos positivos da cidade e dos moradores, em contraponto à postura da jovem. As publicações enalteciam desde a paisagem urbana até curiosidades peculiares da cidade.

Regina Duarte e cinemateca com tubaína
Anderson Coelho/03-05-2017
 


A partir disso, moradores de Cascavel passaram a confrontar as publicações e disputar por qual das cidades seria melhor. “Toledo é tão bom que a galera vem em peso nos finais de semana para Cascavel”, publicou uma internauta. Outras postagens trouxeram imagens de cenários paradisíacos ou pontos turísticos mundiais com legendas do tipo “aqui em Toledo”. As provocações trataram de episódios bizarros como onça nas ruas e eventos culturais como Carnaval como base para a disputa. “Péssimo dia pra quem é de Cascavel e tá criticando Toledo sem estar nos trends, acontece...”, provocou um usuário do Twitter. Algumas pessoas superaram o dualismo da questão: internautas a dizer que “dentre Cascavel e Toledo, prefiro Londrina” e “Maringá é melhor que as duas”. 




Regina Duarte e cinemateca com tubaína

Mais um eliminado no paredão do "Big Brother Brasília": Regina Duarte perde o posto de secretária especial da Cultura e assume a coordenação da Cinemateca, órgão responsável pela preservação do conteúdo audiovisual nacional.

Ex-secretária especial da Cultura Regina Duarte
Ex-secretária especial da Cultura Regina Duarte | Pedro Ladeira/Folhapress
 


Para sua substituição, está cotado o também ator Mário Frias, conhecido por seus papéis de galã. Em meio a sucessivas trocas de cargos públicos durante a pandemia, Jair Bolsonaro faz piada em live de pronunciamento sobre o Ministério da Saúde: "Quem é de direita toma cloroquina. Quem é de esquerda toma Tubaína"



LEIA TAMBÉM:

Furacão no Brasil, Collor pedindo desculpas e Guerra de Youtubers

Mistério no Céu - Satélites visíveis e a união das torcidas rivais

LIVE DE HOJE: A nova novela das nove



***

#SalvemBelENina


Francinete Peres, dona do canal de Youtube Fran para Meninas, foi fortemente atacada nas redes sociais durante os últimos dias sob a acusações de exposição de suas filhas Isabel de 13 anos e Nina de 5. Além do canal principal, a influencer tem, também, outras contas com a participação da família. As denúncias alegam que Francinete obrigaria as jovens a gravarem vídeos contra sua vontade e que estaria impondo comportamentos infantilizados às próprias filhas. Além disso, alguns vídeos expõem imagens de Isabel em situações constrangedoras, como chorando e vomitando, contradizendo as normas do Estatuto da Criança e do Adolescente. Teme-se que a prática tenha causado danos psicológicos para as garotas. Em 2016, um inquérito havia sido aberto para investigar irregularidades no conteúdo mercadológico e publicitário dos canais, por ser direcionado ao público infantil e protagonizado por menores de idade. 



***


Regina Duarte e cinemateca com tubaína
Ellan Lustosa/Código 19/Folhapress
 


#João Pedro 

A morte do menino João Pedro, de 14 anos, foi o principal assunto da semana e gerou comoção e reivindicações sociais. João Pedro Mattos Pinto foi baleado por uma operação da polícia no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, que fica na região metropolitana do Rio de Janeiro, enquanto estava em casa. O fato ganhou repercussão nacional. Nas redes sociais, as pessoas se protestaram contra a ação dos disparos feitos pelos policiais, criticaram a tática ostensiva de operação dos agentes e cobraram por justiça. Diversas publicações levantaram a problemática do racismo estrutural e do preconceito direcionado às favelas: “muito triste essa história do João Pedro. ‘Todo camburão tem um pouco de navio negreiro’, de Castro Alves a O Rappa”, protestou uma internauta. Coletivos de movimentos sociais e políticos também lamentaram e se posicionaram contrários à ação policial. “Por João Pedro, por Ágatha Felix, por vida plena às nossas crianças e jovens”, sintetizou uma publicação. Com o debate acerca do racismo e do atentado às pessoas inocentes da favela, os internautas homenagearam João Pedro e sua família e cobraram por manifestação pública do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. “Mais um jovem negro assassinado. Até quando vamos continuar perdendo os João deste país?”. 


 

Regina Duarte e cinemateca com tubaína
Eduardo Knapp/Folhapress
 


#Roda Viva 

A entrevista de Felipe Neto no programa Roda Viva, na segunda (18), foi um dos assuntos mais comentados do Twitter. O programa, apresentado por Vera Magalhães, contou com a bancada entrevistadora composta pela jornalista Rachel Sheherazade, a head de comunicações do Twitter Brasil Maria Claudia Almeida, a jornalista Mariliz Pereira Jorge, o radialista Edgard Piccoli e a colunista Carol Pires. Os assuntos da entrevista foram baseados em política, estratégias de comunicação, redes sociais e a carreira de Felipe Neto. Os internautas reagiram à entrevista de forma polarizada. Os fãs de Felipe Neto enalteceram falas do influenciador e concordaram com seus argumentos. “Sem dúvida alguma, uma das melhores entrevistas que já presenciei”, postou uma internauta. Outras postagens enalteceram a “coragem em assumir publicamente os erros passados”. Os posicionamentos, no entanto, não se basearam meramente em apoiadores e opositores. Tanto progressistas quanto conservadores criticaram posicionamentos passados e atuais do youtuber. Enquanto parte dos comentários diziam que suas respostas eram óbvias, outra relacionava seus argumentos com teor infanto-juvenil de seu conteúdo na internet. Até mesmo a mudança de postura política foi alvo de críticas. Ainda, outra parte dos internautas se restringiu a debater sobre os fones de ouvido do influenciador, que insistiam em cair de seu ouvido durante a entrevista. 

 

 Supervisão: Patrícia Maria Alves (editora)





Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias