'Precisamos fazer renascer o humano em nós'


Magaléa MazziottiReportagem Local
Magaléa MazziottiReportagem Local

Diante de tantos episódios atuais testando a fé de quem almeja um mundo melhor e mais humano, o simbolismo de renascimento implícito na Páscoa parece ainda mais urgente neste ano. A representação do renascimento pelo ovo precede o cristianismo, já que ele era usado nos festejos da Primavera dos povos eslavos ainda pagãos (988 a.C.), que seguiam a tradição milenar de pintá-los com desenhos repletos de significados e desejos de saúde, amor, paz e prosperidade.

Tais ovos são chamados de pêssankas e transcendem gerações com ou sem descendência ucraniana no Paraná e por várias partes do País e do mundo. Que o diga o casal de artistas paranaenses Iára e Jorge Serathiuk, que desde 1979 produzem essa arte profissionalmente. Somente para a Páscoa deste ano, eles já comercializaram cerca de 400 unidades.

Foi justamente na Páscoa de 1979 que a tradição dos dois descendentes de ucranianos se transformou na fonte de renda da família. "Como já era de costume, minha esposa estava pintando os ovos para a Páscoa, quando uma vizinha nossa gostou tanto que encomendou 30 unidades. Com a técnica que até então conhecíamos, aprendida com os nossos pais, ela não iria dar conta sozinha da encomenda e também ajudei a produzir. Só que daquele episódio em diante não paramos mais de confeccionar as pêssankas", recorda Jorge, que até então trabalhava em farmácia.

O casal paranaense Iára e Jorge Serathiuk criou a própria técnica para produzir pêssankas profissionalmente desde 1979: "Nosso trunfo foi tornar mais eficiente a produção de algo artesanal"
O casal paranaense Iára e Jorge Serathiuk criou a própria técnica para produzir pêssankas profissionalmente desde 1979: "Nosso trunfo foi tornar mais eficiente a produção de algo artesanal" | Divulgação





Na época, o casal levou quase 20 dias para produzir 30 pêssankas. "Se tivéssemos continuado com a técnica dos nossos antepassados, morreríamos de fome, no entanto, conseguimos criar nossos quatro filhos, sendo que todos se formaram na universidade. Nosso trunfo foi tornar mais eficiente a produção de algo artesanal, tanto que entre as décadas de 1980 e 1990 passamos a fazer exposições internacionais e dar palestras em diversos países por conta disso", comenta o artista, contando que existe uma centena de técnicas de pintura de ovos.

O casal também foi responsável por assinar o desenho e a concepção de dois projetos de monumentos de pêssankas no Paraná: no Memorial Ucraniano de Curitiba e na Igreja Ucraniana do Sagrado Coração de Jesus, em Ivaí, Sudeste do Estado. Nos dois casos a fundição em bronze foi realizada pelo escultor Elvo Benito Damo e a cerâmica foi elaborada por Maria Helena Saparolli.

Atualmente, os Serathiuk participam anualmente da Feira Internacional das Embaixadas, em Brasília (DF), e comercializam sua produção na internet via redes sociais e através de lojistas do Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e pela rede Leve Curitiba do Instituto Pró-Cidadania (IPCC).

Rituais da Quaresma
Mesmo com a transformação da tradição familiar no sustento dos Serathiuk, Jorge conta que é mantido o costume de pintar os ovos, assim como todos os rituais da Quaresma e da Páscoa. "Passamos todo o período sem ingerir carne na sexta-feira. Na Sexta-feira Santa produzimos o nosso pão especial, a Paska, mais os pratos que serão ingeridos a partir do café da manhã no Domingo de Páscoa, que inclui carne de porco, manteiga, queijo e linguiça. No sábado levamos todos esses alimentos para benzer", descreve. Ele é enfático em dizer que todo o significado da Páscoa a torna a principal data dos descendentes de ucranianos.

Encarando a pêssanka como uma espécie de telegrama cifrado, o artista resume os votos que gostaria de pintar em um ovo para a humanidade. "Especialmente neste ano, creio que a humanidade está precisando demais se inspirar no renascimento dos valores humanos, que parecem ter evaporado. Precisamos fazer renascer o humano em nós", alerta Jorge.

Talismã

O advogado e dançarino do Grupo de Folclore Ucraniano Barvinok, Andreiv G. Choma, estudioso das tradições, conta que há quem acredite que a pêssanka possui poderes de talismã e poder curativo para animais e homens ao serem tocadas nas partes afetadas.

Choma explica ainda que há diversas variações de pêssankas, com nomes indicando suas características. "Encontramos os krachenkês de uma única cor, consumidos na manhã de Páscoa; os malhovankês, que são pintados com tinta a óleo; os dreapankês, que são coloridos com tintas naturais; e os lestovankês, feitos com apliques", informa. (M.M.)

O que querem dizer os símbolos

Os significados variam de região para região e até mesmo de vila para vila. Símbolos similares podem ter interpretações completamente diferentes em lugares distintos do povos eslavos

Geométricos
Os desenhos mais populares são figuras geométricas, incluindo o triângulo (a Santíssima Trindade e os elementos: ar, fogo e água), diamantes (conhecimento), dentes (defesa ou proteção), tripés (homem, mulher e criança ou nascimento, vida e morte) e espirais (o mistério da vida e da morte, bem como a divindade e a imortalidade).

Linhas, fitas e ondas
São meandros, ondas, linhas ou fitas. A chamada "fita" ou linha eterna é um dos mais populares devido a uma interessante lenda. A fita não tem um começo e nem fim e, portanto, um espírito maligno que tente entrar em uma casa ou terreno, no ovo ficará preso para sempre e nunca mais incomodará os moradores novamente. Ela simboliza harmonia, movimento, infinito e imortalidade. Linhas e fitas representam o fio da vida ou a eternidade.

Símbolos cristãos
A cruz, que em tempos pagãos representava os quatro lados do planeta, após o cristianismo passou a representar a Santíssima Trindade. Um triângulo com um círculo no centro representa o olho de Deus. Igrejas estilizadas estão frequentemente nas pêssankas da Ucrânia ocidental. Uma peneira simboliza a capacidade de separar o bem do mal.

Frutos
Frutas simbolizam a continuidade, um forte e leal amor, e o amor de Deus. Um ovo da Páscoa com uma maçã ou ameixa é desenhado para trazer conhecimento e saúde. A cereja, um símbolo de beleza feminina, era para felicidade e amor. Uvas representam fraternidade, boa vontade, vida longa e fiel amor, assim como (juntamente com o trigo) a Sagrada Comunhão. Videiras significam os bons frutos da vida cristã.

Flores
Flores expressam o princípio feminino denotando sabedoria, elegância e beleza. Entre as flores retratadas na Páscoa são encontradas: papoula, girassóis, tulipas, cravos, mirta e lírio-do-vale.

Aves
Aves de todos os tipos são os mensageiros do sol e do céu, e representam a proteção contra o mal, fertilidade, o cumprimento de desejos, e uma boa colheita. As aves são sempre apresentadas em repouso, nunca voando (com exceção das andorinhas).

Peixes
O peixe, originalmente um símbolo de saúde, finalmente veio a simbolizar Jesus Cristo, o "pescador de homens." Nos antigos contos de fadas ucranianos, o peixe frequentemente ajudava o herói para ganhar a sua luta com o mal.

Cósmicos
Entre os mais antigos e mais importantes símbolos da pêssanka está o sol. Protege de doença, de má sorte e do mau olhado. O sol também pode aparecer como uma flor ou um espiral. Pêssankas de todas as regiões da Ucrânia também retratam uma estrela de oito lados, que no passado foi um símbolo do deus do sol Dazhboh.

Fonte: Sociedade Ucraniana do Brasil (Subras)



Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias