A virada de ano é simbólica. Uma fase que se finaliza para que outra recomece. Neste encontro do tempo, as avaliações do passado e as promessas para o futuro enchem as taças em comemoração. Mas há quem fique apenas nas palavras. O que falta para colocar aquele projeto em ação? Com planejamento e autoconhecimento, 2018 pode ser o ano de colocar os sonhos em prática.

Como um instrumento de apoio, o planejamento serve como referência de caminhos a percorrer. No entanto, antes de traçar os planos, é necessária uma reflexão. "Avalie com sinceridade como está sua vida em relação às quatro principais dimensões: pessoal, profissional, emocional, e espiritual. Depois, pense sobre onde você se encontra no cenário atual - em contraste com o cenário desejado para cada área. Então comece a identificar, com clareza, aquilo que você deseja conquistar, manter ou transformar", explica Cinara Bastos, consultora de autodesenvolvimento da Lumin'area.

A vida em sua complexidade se desenvolve em muitas áreas: profissional, financeira, intelectual, emocional, física, espiritual, relacionamento familiar, relacionamento íntimo, relações sociais, e lazer. E organizar tudo isso parece algo difícil, por isso, para que cada campo seja atendido, a especialista afirma que deve-se "reservar um tempo de quietude interna, de introspecção e autoconhecimento para reconhecer a verdade em seus desejos, suas insatisfações, necessidades e expectativas mais 'gritantes'."

Segundo a consultora, todos esses aspectos da vida são importantes e por isso deve-se buscar o equilíbrio. "Mas tentar focar os desafios que permeiam cada campo, simultaneamente, será receita de insucesso e frustração", defende. Por isso, orienta trabalhar com foco, consolidando um objetivo por vez. Da mesma forma, se o foco está no desenvolvimento de uma competência, fortalecimento de uma habilidade ou valor humano, todas as áreas serão impactadas positivamente.

O início do ano é um período comum de tentativas de colocar técnicas e ferramentas de organização em prática, no entanto, a consultora defende que independentemente dos instrumentos utilizados, nada seria eficiente sem a aplicação da objetividade, bom-senso, disciplina, sensibilidade e autoconhecimento. E para evitar as frustrações no meio do caminho, a consultora destaca que devemos reconhecer que imprevistos acontecem e que não é correto alimentar expectativas de perfeição. "Seja ousado, mas realista", orienta.

E como manter-se motivado durante o ano todo no processo de execução? "Escreva, detalhe e mantenha atualizado o seu plano de ações. Monitore seus avanços e mantenha sua meta bem visível e sempre presente, onde você estiver. Renove-os constantemente", indica. A consultora também aconselha ter em mente a imagem do objetivo sendo alcançado, exercitar a gratidão a cada aproximação da meta e agradecer continuamente pela realização, mesmo enquanto se trabalha firme por ele. Segundo a consultora, esses pensamentos criam condições psicoemocionais mais favoráveis para que o objetivo se materialize.

Entre tantos caminhos a escolher, é importante saber a importância de cada destino para atingir um resultado mais abrangente. "Uma boa perspectiva é examinar de que modo cada objetivo se encaixa no plano global da sua trajetória, no propósito maior da sua jornada de vida e quais objetivos valem a pena para que seu tempo, sua energia e seus recursos sejam aplicados a uma construção maior: o seu legado de vida", finaliza.

PROJETOS PARA 2018

Cereja Matsubara trabalhou 32 anos na área financeira e há dois está se dedicando à nova profissão: personal organizer
Cereja Matsubara trabalhou 32 anos na área financeira e há dois está se dedicando à nova profissão: personal organizer | Foto: Marcos Zanutto



Algumas pessoas estão focadas para atingir seus objetivos em 2018. Projetos pessoais, profissionais, emocionais ou espirituais, cada um tem um propósito ou meta para alcançar. Com determinação, há quem esteja se preparando para as oportunidades do próximo ano.

A administradora de empresas, Luiza Helena Martins, teve uma mudança de pensamento em 2017 e, com a transformação, novos caminhos. "Eu entrei em um autoconhecimento muito grande e estou em uma busca real, a parte espiritual, de poder me doar, conversar com as pessoas, dar uma palavra amiga, ajudar", conta.

Para conquistar seus objetivos, já esteve se preparando com meditações, treinamentos e desenvolvimento da mente. Agora, Martins está traçando os próximos passos. "Estou buscando conhecer alguns grupos, pontuando, doando, participando de projetos", afirma ao explicar que a intenção é participar de projetos sociais e também tentar melhorar o ambiente local.

Quem está na mesma busca de auxiliar as pessoas, mas com viés profissional, é a empresária Cereja Matsubara, que, com a capacitação em personal organizer, pretende finalizar o processo para abrir a sua empresa. "Em 2018, quero intensificar parcerias, montar workshops até ajudar uma entidade beneficente em algum projeto de organização. Eu vou pegar firme e forte para fazer isso", argumenta.

A empresária trabalhou 32 anos na área financeira e há dois está se dedicando à nova profissão, com estudos, promovendo treinamentos para a equipe e organizando a documentação para que 2018 seja o ano da efetivação. A intenção é prestar serviços personalizados de otimização do tempo e praticidade, seguindo os hábitos de cada família ou empresa, além de abrir uma loja de artigos organizadores com orientação para clientes.

Para que seu plano seja colocado em prática, Matsubara teve um bom período de persistência e determinação. Com isso, indica os caminhos para que outras pessoas atinjam seus desejos. "Primeira coisa que tem que fazer é listar, só memorizar não adianta. É um parâmetro a seguir para alcançar o seu objetivo. É traçar caminhos", defende.

Com a experiência e formação, aponta a importância do equilíbrio emocional para lidar com os obstáculos, reanalisar propostas ou até substituir planejamentos. "O que importa é o final. No fim eu tenho que chegar lá, então, se necessário, tenho que fazer algumas mudanças para correr atrás de novo", indica. Ao mesmo tempo, orienta que o planejamento seja feito com análise e estudo para que seja cumprido e seguido como uma cartilha.