#[email protected] - A repercussão do caso Suzy


Bruno Codogno
Bruno Codogno

 

#m@is - A repercussão do caso Suzy
Xesai/iStock
 

#Dólar 

A alta do valor cambial do dólar viralizou foi preocupação on e off-line durante esta semana. O real sofreu desvalorização acelerada em relação a moeda americana, que alcançou o correspondente a R$ 4,79 na segunda-feira. Ao mesmo passo das Bolsas de Valores internacionais, a economia brasileira se enfraquece enquanto Rússia e Arábia Saudita travam disputa de preços na indústria do petróleo. Os internautas reagiram à desvalorização da moeda brasileira com ironia, humor e criticismo. Prints de tweets antigos de Eduardo Bolsonaro e de seguidores do político foram repostados, nos quais previam que a política liberal pudesse levar o real a valores baixos. Outros internautas questionavam se haveria "bate-panela" contra o governo, em referência às manifestações de 2013 contrárias ao governo de Dilma Rousseff. As críticas abordaram até a pintura de Romero Britto em homenagem a Bolsonaro, relacionando a viagem do presidente ao momento de fragilidade da economia brasileira. O presidente foi filmado enquanto pintava quadro na casa do artista e, consequentemente, criticado pela indiferença à crise e por sua capacidade artística duvidosa.


#m@is - A repercussão do caso Suzy
Bruno Santos - Folhapress
 

#Suzy

A entrevista do médico Dráuzio Varella com a detenta Suzy gerou polêmica nas redes sociais a partir da segunda (9). O vazamento dos crimes que antecederam a prisão de Suzy polarizou os internautas em debates sobre ética no audiovisual. Por um lado, internautas atacam a postura do programa pela omissão do crime durante a reportagem que, segundo eles, manipulou o conteúdo e incitou pessoas a se solidarizar com a detenta, condenada por crime hediondo. Por outro, internautas fazem a defesa do médico e destacam a necessidade de mais empatia com pessoas que se dispõem a tratar de assuntos de fragilidade social. Na terça-feira (10), Dráuzio Varella publicou vídeo no qual se explica pela reportagem, pede desculpas para a família da vítima e aos internautas. 




#m@is - A repercussão do caso Suzy
Reprodução
 

#Sydow

O falecimento do ator sueco Max von Sydow, aos 90 anos, no domingo (8), gerou comoção na internet. Sydow interpretou diversos papeis na carreira, com destaque ao Padre de "O Exorcista", o Corvo de Três Olhos em "Game of Thrones", e outros papeis em "Ilha do Medo", franquia "Star Wars" e "Flash Gordon". O ator tem o início de sua carreira atrelada ao clássico filme "O Sétimo Selo" do diretor sueco Ingmar Bergman (1918-2007). Os internautas compartilharam momentos icônicos do ator no cinema como forma de homenagem. Outras publicações exaltavam a versatilidade de Sydow, que interpretou de heróis a vilões, do terror à aventura. Dentre as menções mais ocorrentes estava a cena clássica em que Sylow, na pele de Antonius Blok, desafio a morte numa partida de xadrez.


#m@is - A repercussão do caso Suzy
Aizar Raldes
 

#Rio Grande do Sul

A confirmação do primeiro caso de coronavírus no Rio Grande do Sul, na última terça (10), foi um dos tópicos mais comentados nas redes sociais. O paciente confirmado é um homem de Campo Bom que retornou de viagem da Itália. Os internautas reagiram de formas diferentes. Houveram publicações em alta dos moradores de Campo Bom e cidades vizinhas preocupados com a confirmação do vírus. Ainda, as postagens trataram do esgotamento de álcool gel nos mercados da cidade. Outros tweets pediram cancelamento de jogos de futebol e eventos esportivos no estado, com preocupação de um possível contágio do público. Assim como em outras confirmações do vírus, as redes sociais foram tomadas por memes e postagens de humor. Houve, também, exaltação da região Nordeste, de seu clima, que não possui nenhuma pessoa infectada até o momento do trending topic.


#m@is - A repercussão do caso Suzy
Reprodução
 

#PODCAST O Caso Evandro

O jornalista Ivan Mizanzuk criador e apresentador do podcast "Projetos Humanos - O Caso Evandro" publicou, na terça-feira (10), áudios que poderiam comprovar que os suspeitos de assassinar o menino Evandro Ramos Caetano foram torturados para confessar o crime. O podcast reconstitui a história e investigação do desaparecimento de Evandro, de 6 anos, em 1992 na cidade de Guaratuba, litoral do Paraná. Sete pessoas foram denunciadas pelo MP-PR (Ministério público do Paraná) com suspeitas de envolvimento em um ritual religioso para matar o garoto. Mizanzuk alega que as investigações do caso foram contaminadas e que áudios atestariam a inocência dos suspeitos. A Polícia Civil afirmou que se houver novas diligências o caso pode voltar ao Secride. "Sob a luz de novos documentos, é hora de revisarmos algumas informações que passamos em episódios passados. E também de mudar a história para sempre", publicou o jornalista em seu perfil nas redes sociais. 


Supervisão: Patricia Maria Alves

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias