Pães com fermentação natural e embalagens personalizadas, como esses da artesã Elza Novaes, podem surpreender
Pães com fermentação natural e embalagens personalizadas, como esses da artesã Elza Novaes, podem surpreender | Foto: Fotos: Divulgação



Doar tempo e carinho é uma das manifestações de amor mais bonitas. Mas tempo e carinho podem ser demonstrados de outra forma. Quem não acredita nas próprias habilidades, pode buscar um presente artesanal, que possa ser pensado e encomendado para aquela pessoa especial, como pães e bolos.

Elza Novaes é jornalista de formação, mas se denomina hoje como artesã de pães. Com diversas possibilidades de presente, conta que o início foi complicado para encontrar o método correto. "A fermentação natural é um processo que leva mais de um mês para ficar pronto. Os primeiros pães ficavam horríveis, e eu pesquisava, mas na época não encontrava muito material. Eu fui melhorando, antes era tudo muito improvisado", conta.

No entanto, a artesã reconhece que sempre teve habilidades para trabalhos manuais, por isso fez cursos de patchwork, scrapbooking e aquarela. Com a sensibilidade, desenvolveu produtos em que soma todas as técnicas aprendidas. "Juntei tudo que eu gostava e fui colocando ali. Comecei a fazer pães sob encomendas e busquei embalagens diferentes, eu monto como se fosse um scrapbooking, uso carimbos, flores do patchowrk, lacinho de ráfia...", descreve.

Imagem ilustrativa da imagem Artesanato e sabor



Os pães artesanais levam mais tempo para serem produzidos, e sob encomenda, podem ser personalizados com sabor e recheios diferentes. "Eu gosto, a cozinha é mágica, ali você coloca tempero, amor, sentimentos. Alimentar é um ato de amor. E pão tem variações de um país para o outro, mas o mundo inteiro consome. Eu sou apaixonada", argumenta citando as características emocionais do trabalho.

E é por ter essa história, cultura e tempo de produção que acredita ser um presente afetivo para outras pessoas. "É exclusivo, diferente, personalizado e original. É uma coisa para dar prazer, que fica na memória, as pessoas vão lembrar que o presente artesanal que ela ganhou e gostou foi feito por tal pessoa", enfatiza.

Acostumada a trabalhar com o caseiro, já presentou e viu a reação das pessoas na prática. "Elas ficam encantadas, até por causa da embalagem que também é manual", recorda. Ao mesmo tempo, dar um presente artesanal revela outros sentimentos. "É a questão da partilha, você não come um pão inteiro sozinho, às vezes compartilha até com a pessoa que deu o presente. É estar na mesa conversando com os amigos, comendo, bebendo. O presente produz momentos, lembranças", idealiza. (L.T.)