|
  • Bitcoin 239.733
  • Dólar 5,5349
  • Euro 6,3186
Londrina

Folha Mais 5m de leitura Atualizado em 25/10/2021, 08:30

Almanaque – Fenômenos naturais raros

PUBLICAÇÃO
sábado, 23 de outubro de 2021

Alice Resende e Ana Julia Gabas *(estagiárias)
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Ações da natureza que não tem intervenção humana e são raras de se ver sempre atraem os olhares curiosos. Vamos falar sobre algumas delas... 

Maré vermelha 

O fenômeno que já foi relatado no livro mais antigo e famoso do mundo, a bíblia e acontece em água salgada e doce - mares, rios, etc - por causa do aumento da quantidade de microalgas, isso devido a alteração da salinidade e temperatura e o aumento do nível de nutrientes na água. As algas são vistas como uma grande mancha na superfície da água com cores vermelhas, amarelas, marrom ou laranja. O grande problema é que nessa alta quantidade essas algas liberam toxinas, por isso, peixes e outro seres marinhos morrem ou são contaminados e se tornam impróprios para consumo. Nesses casos também não é indicado entrar na água ou ingerir ela. A Maré Vermelha pode durar semanas até desaparecer completamente. Ou seja, o fenômeno provoca um desequilíbrio do ecossistema e econômico, pois afeta também pescadores, turismo e todos que trabalham com o local. O fenômeno aconteceu no Brasil em 2007, quando foi notado uma proliferação dessas algas na costa da Bahia, acarretando na morte de 50 toneladas de animais marinhos. 

Raios saindo de vulcões  

Imagem ilustrativa da imagem Almanaque – Fenômenos naturais raros
|  Foto: iStock
 

Para que aconteça uma tempestade de raios em cima de vulcões é preciso que as nuvens estejam com uma alta carga elétrica estática. Quando o vulcão em erupção, arremessa com força fragmentos nessas nuvens e essa carga elétrica se transforma em grandes raios. Em 2020, nas Filipinas, a erupção do vulcão Taal gerou cerca de 300 raios. A boa notícia é que, ao mesmo tempo, esse material lançado para as nuvens absorve a descarga elétrica, por isso os raios não chegam até a terra.  

Nuvem de gafanhotos 

Em 2020, uma nuvem de gafanhotos se agrupou no Paraguai, passou pela Argentina e chegou ao sul da Brasil.

Imagem ilustrativa da imagem Almanaque – Fenômenos naturais raros
|  Foto: iStock
 

 O fenômeno aconteceu porque naturalmente gafanhotos vivem uma parte da vida agrupados e com o clima mais seco do que o habitual, se reproduziram mais. A nuvem de gafanhotos assustou agricultores latino-americanos e muitos tiveram prejuízos em suas plantações. Esta não é uma praga desconhecida, no século XIX e XX já destruiu lavouras brasileiras, contudo, desde então não se formavam as nuvens de gafanhotos. Como é um fenômeno natural, a melhor forma de combater é a própria natureza, com chuva, frio e ventos fortes. Foi o caso do ocorrido ano passado, quando os gafanhotos chegaram no frio do sul do Brasil perderam força e se dissiparam. 

Cachoeira de fogo 

Imagem ilustrativa da imagem Almanaque – Fenômenos naturais raros
|  Foto: iStock
 

No Parque Nacional de Yosemite, na Califórnia, ocorre um fenômeno de tirar o folego: a imagem de uma cascata de lava escorrendo do topo de uma montanha. Só que, na verdade, isso não passa de uma ilusão de ótica e de uma ajudinha da mãe natureza. A Firefall, como é chamada nos Estados Unidos, acontece quando a luz solar atinge um ângulo específico da montanha Horsetail Fall, onde está caindo uma determinada quantidade de água por conta do derretimento da neve que fica acumulada no topo da montanha, e o resultado disso é uma cachoeira que brilha em laranja e vermelho ao pôr do sol. O fenômeno é bem raro e só pode ser observado em alguns dias de fevereiro, quando as condições climáticas estão propensas para que isso ocorra. Virou até ponto turístico, com milhares de pessoas indo acampar no parque para poder observar essa ilusão da natureza. 

Flores congeladas 

Fica difícil de acreditar que pequenos cristais de gelo em formato de flor não sejam realmente fragmentos de plantas que foram congeladas pelo frio extremo. Esse fenômeno ocorre em locais onde a temperatura é baixíssima, como no Oceano Ártico por exemplo. Isso porque, para que aconteça, é preciso estar frio o suficiente para que pequenas quantidades de gelo que estão flutuando na água congelem as gotas que estão ao seu redor, formando uma reação em cadeia. Além de serem muito bonitas visualmente, as flores congeladas carregam uma certa importância ambiental, porque representam um ecossistema em miniatura. Elas abrigam muitas bactérias e microrganismos que não seriam capazes de sobreviver em temperaturas tão baixas. 

Imagem ilustrativa da imagem Almanaque – Fenômenos naturais raros
|  Foto: iStock
 

Lava azul 

É do vulcão Kawah Ijen, que fica na província de Java Oriental, na Indonésia, que se capturam as fotos mais fascinantes.

Imagem ilustrativa da imagem Almanaque – Fenômenos naturais raros
|  Foto: iStock
 

Ao anoitecer, a lava que escorre desse vulcão parece ser azul florescente. Seria magnífico dizer que existem outras cores e tipos de magma, porém, o que escorre do Kawah Ijen, na verdade, é o magma de cor laranja já conhecido por todos e as manchas azuis são chamas resultadas da queima de gases a base de enxofre que saem do vulcão a alta pressão e temperatura. As cores das chamas dos vulcões indicam a quantidade de energia que está sendo liberada e, como nesse caso, a azul indica alto índice de energia.  

Cruzadinha Fenomenológica

Respostas: 1. Califórnia / 2. Maré Roxa/ 3. Microalgas/ 4. RS /5. Venezuela

Imagem ilustrativa da imagem Almanaque – Fenômenos naturais raros
 

*Supervisão da editora Patricia Maria Alves

LEIA TAMBÉM:

Reféns da tecnologia - Aplicativos fora do ar, causam transtornos e escancaram forte dependência de usuários e comércios

instagram

ÚLTIMOS POSTS NO INSTAGRAM