#A voadora de Bolsonaro e a separação de Gusttavo Lima


Lara Bridi e Bruno Codogno (estagiários)
Lara Bridi e Bruno Codogno (estagiários)

#Advertência a Carol Solberg 

A jogadora de vôlei Carol Solberg recebeu uma advertência do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por ter se manifestado politicamente ao final de uma partida. O episódio, que ocorrera em setembro quando a atleta entoou "Fora, Bolsonaro" após uma vitória, teve sua resolução com três votos contra dois. Sua multa foi convertida em advertência, o que o presidente da comissão, Otacílio Araújo, categorizou como um "puxão de orelha", afirmando que a reincidência pode resultar em punição. A resolução entende que Solberg descumpriu o seguinte artigo de um anexo do regulamento do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia: "O jogador se compromete a não divulgar, através dos meios de comunicações, sua opinião pessoal ou informação que reflita críticas ou possa, direta ou indiretamente, prejudicar ou denegrir a imagem da CBV e/ou os patrocinadores e parceiros comerciais das competições". Para os votantes contrários à decisão, a atitude da atleta não fere a CBV ou seu patrocinador, o Banco do Brasil. Por outro lado, os demais votantes entenderam que a fala compromete indiretamente a instituição e renovação de contratos de patrocinadores.




#iPhone sem carregador 

Diversos tuiteiros questionaram os anúncios da Apple dessa semana. Durante o Apple Event, a marca de eletrônicos divulgou que sua nova linha de celulares, IPhone 12, será vendida separadamente dos fones de ouvido e do plug do carregador (apenas com o cabo). A empresa justificou a mudança como uma medida de diminuição da emissão de gás carbono na produção dos acessórios e redução de lixo uma vez que a caixa do smartphone será menor. A mação caiu na cabeça de internautas, que avaliaram as decisões como ecologicamente ineficazes e criticaram o preço alto: os novos celulares devem custar entre 4,06 e 6,12 mil reais, considerando a cotação atual do dólar.

#A voadora de Bolsonaro e a separação de Gusttavo Lima
AFP PHOTO/ Apple Inc.
 


 #Separação de Gusttavo Lima 

O cantor sertanejo Gusttavo Lima e a modelo Andressa Suita se pronunciaram sobre o fim do casamento, anunciado na sexta-feira da semana passada, 9 de outubro, pela assessoria do músico. Ambos postaram vídeos em suas redes sociais expondo seus sentimentos. Lima afirmou que o término ocorreu por conta de desgastes do relacionamento, mas que não houveram brigas ou traições. Em vídeo disse: "O casamento pode ter acabado, mas a admiração, o carinho, o respeito continuam". Andressa admitiu que o pedido de divórcio "foi um choque (...) Sem qualquer queixa, sem nenhum motivo e sem abertura pra eu poder salvar nosso casamento." - contou a modelo. O casal estava junto desde 2012 e teve dois filhos. O cantor declarou que não deve levar o caso à justiça a pagará fiança à ex-mulher e crianças.  

#A voadora de Bolsonaro e a separação de Gusttavo Lima
Fabricio Guerreiro /Fotoarena/Folhapress
 


#Salles e o “boi bombeiro” 

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, defendeu publicamente a criação de gado no território do Pantanal e o chamado “fogo frio” no combate ao incêndio. A fala foi em concordância com a manifestação da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, de que o gado é responsável pela diminuição da matéria orgânica “excedente”, inflamável, que possibilita o alastre de incêndios. Ainda, Salles afirmou que “a África está queimando muito mais” que o Brasil. A reação dos internautas foi polarizada: debates entre os apoiadores do governo e críticos da gestão se deram nas publicações sobre o tema. Os pontos debatidos foram relacionados à toda a questão do Pantanal a respeito das origens dos incêndios e a forma como o Governo Federal agiu sobre a crise ambiental. Por outro lado, publicações de especialistas refutaram as falas do ministro acerca da eficácia do “boi bombeiro” e sobre as queimadas na África. 

#A voadora de Bolsonaro e a separação de Gusttavo Lima
Marcos Corrêa/PR
 


#Voadora 

Jair Bolsonaro (sem partido) fez uma declaração na quarta-feira (14) que viralizou nas redes sociais. O presidente afirmou que “quem sair da linha” em seu governo, se referindo à corrupção, levaria uma “voadora no pescoço”. Bolsonaro fez a afirmação quando explicava sobre operações da Polícia Federal e sobre acreditar que “não há corrupção no governo”. Os internautas reagiram de diferentes formas à frase de Bolsonaro: diversas publicações ressaltaram a inesperada citação do golpe; outras, foram mais humorísticas; e ainda, diversos internautas citaram os supostos escândalos envolvendo os filhos de Bolsonaro, questionando se “a voadora serviria para eles também?” 

#A voadora de Bolsonaro e a separação de Gusttavo Lima
Marcos Corrêa/PR
 


#Correios 

O Ministério das Comunicações manifestou que o projeto de lei para a privatização dos Correios foi entregue ao Palácio do Planalto. Além da privatização da mudança na modalidade de serviços postais, o ministro Fabio Faria também informou sobre a mudança da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) para Anacom (Agência Nacional de Comunicações), para que a agência passasse a regular não apenas os serviços de telecomunicação, mas também a dinâmica postal. Nas redes sociais, os internautas debateram sobre o assunto de forma polarizada. Por um lado, defensores da privatização e que almejam uma modernização no serviço. Por outro, internautas preocupados com a precarização do serviço postal e a diminuição das atribuições do Estado sobre as entregas. 

#A voadora de Bolsonaro e a separação de Gusttavo Lima
Gustavo Carneiro
 




*Supervisão: Patricia Maria Alves

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo