Dois anos atrás, as amigas Luciana Kouri e Andréia Ferreira abriram uma confecção para abastecer com criações bacanas grifes já consolidadas no mercado nacional. Mas elas sabiam que um dia também teriam uma grife própria e com a cara delas. Era tudo uma questão de tempo e planejamento. Pois o dia chegou e o inverno vai trazer para as lojas multimarcas do Brasil afora uma coleção inteirinha com a etiqueta Zue.
O nome com inspirações indígenas, mais especificamente da Ilha de Cunas significa luz do sol. Se ele vai trazer sorte ou não, ainda é preciso esperar para ver as roupas nas lojas e vestindo as pessoas. Mas já de cara trouxe brilho para contagiar a dupla de estilistas que, nem precisa dizer, está feliz da vida com a novidade. ''Foi um elefantinho que nasceu'', brinca Andréia com a informação de que a gestação de uma elefante é de 24 meses. Exatamente o mesmo tempo que demorou para o lançamento da grife.
Para a inaugural coleção outono-inverno, que deve chegar às araras a partir do mês que vem, a Zue surge com 64 peças das linhas masculina e feminina. O show-room em São Paulo já está pronto e funcionando a mil. ''Também temos representantes no sul e no nordeste do País'', contas as estilistas. Lojas de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba já acertaram as compras. Em Londrina, terra da grife, as negociações estão na reta final.
Antes de se estabelecerem por aqui, a dupla frequentou a capital da moda brasileira, São Paulo. Por lá fizeram faculdade de moda, desenharam para grifes badaladas, até que resolveram montar um negócio próprio. ''Aqui é tudo mais fácil, mais perto e a mão-de-obra é mais barata'', define Andréia. ''Com isso o nosso produto fica mais competitivo'', lembra Luciana.
Além de ser a primeira coleção com a etiqueta Zue, o inverno também será a estréia da linha masculina. ''Fizemos pensando no cara que gosta de esporte, curte o corpo e não tem medo de inovar'', contam. Já a definição para a linha feminina não tem mistérios. ''A gente faz o que sente falta no nosso guarda-roupa. Não tem? Vamos fazer'', explica Luciana.
''Estamos pensando em algo com estilo, que não acabe em seis meses'', declara a dupla. Mesmo as peças antenadas com as tendências jaquetinhas de moletom e calças cargo ganham o toque diferenciado das estilistas. ''Tudo tem um detalhe, um quê especial'', avisam. E é aí que está o grande trunfo da nova grife: impossível resistir aos bordadinhos artesanais cada peça fica com cara de única.
E como a moda não pára, as amigas já se preparam para a coleção primavera-verão e planejam algo ainda maior. ''Vamos ter pelo menos o dobro de peças'', garantem. Devem apostar também nos acessórios, como bolsas, cintos e colares. ''Só os sapatos que não porque são mais complicados'', lembra Andréia. Nos planos para o futuro, elas não descartam a idéia de ter uma loja própria. ''Mas não é assim, ah, vamos abrir uma loja linda lá na Oscar Freire (São Paulo'', alerta Luciana. Para a dupla, tudo tem seu tempo. E pelo jeito, só ele só anda trazendo boas notícias.