Existem algumas diferenças entre o modo de vida das crianças de "antigamente" para as de hoje. Antes, até mesmo para as brincadeiras era necessário esforço físico - subir em árvores, brincar de esconde-esconde, amarelinha, bola-queimada, jogar futebol em terrenos baldios, correr em carrinho de rolimã, entre outras. Hoje, para a maioria, a diversão é dentro de casa, ou seja, horas e horas em frente à tevê, computador e videogame. Sem contar com a agenda corrida de escola, cursos extracurriculares, um ou outro esporte, e quase sempre carregando muito peso na mochila. Isso tudo, além de estressar os pequenos, pode gerar sequelas na postura, entre outros problemas. Para tratar tudo isso, o método pilates pode ser uma poderosa ferramenta.
Porém, quando se fala em pilates para crianças, uma das primeiras perguntas que vem à mente dos pais é: "Não é uma atividade muito puxada para meu filho? Não vai comprometer seu desenvolvimento?". Segundo os especialistas, é justamente o contrário. O método só tem a contribuir para o desenvolvimento das crianças, uma vez que, além de fortalecer a musculatura para suportar a carga da mochila, corrige a postura, introduz disciplina, concentração e ainda serve de canal para extravasar a energia típica da idade.
A fisioterapeuta Cristiana Rizzi Valença, do Studio Quality Pilates e Fisioterapia, afirma que a maioria dos pais procura esse método para seus filhos em decorrência de problemas posturais. "As mochilas são as grandes vilãs", diz. Ela explica que a partir dos oito anos de idade, desde que a criança não tenha problemas de saúde, não há contraindicação para as que queiram praticar esse exercício. Porém, ainda não é uma das atividades mais apreciadas pela garotada. "Geralmente, criança gosta de atividades mais agitadas e divertidas; são poucas as que querem praticar pilates por afinidade. No entanto, o método proporciona qualidade de vida, independentemente da idade, já que trabalha respiração, postura, concentração, alongamento, fortalecimento, com a vantagem de não agredir as articulações, já que não possui impacto", explica.
Apesar de não estar entre as atividades mais procuradas por meninos e meninas, Cristiana afirma que vem constatando um aumento significativo de médicos que indicam pilates para crianças como parte do tratamento de algum problema de saúde. "É uma atividade bastante lúdica, já que trabalha exercícios com bola. Sempre com o acompanhamento de um fisioterapeuta, a criança faz aulas diferentes, mas com o mesmo objetivo".
E foram os exercícios nos aparelhos, bola e solo que ajudaram a estudante Talita Gabriela Schu, de 13 anos, a superar as intensas dores que sentia nas costas, consequência do uso de mochilas pesadas. "Eu tomava remédio todos os dias", conta. Foi então que Talita e sua mãe decidiram procurar um médico que indicou fisioterapia e pilates. Hoje, um ano depois de iniciar as aulas, a menina revela que as dores diminuíram e o prazer pela atividade física só aumenta. "Os exercícios sempre mudam, isso torna a aula mais legal. Este ano na escola aprendi bastante a respeito de atividade física. Sei que faz bem para saúde, por isso quero continuar praticando".

Ai, minha coluna!

Uma pesquisa divulgada o ano passado pela Kaiser Family Foundation demonstra que garotos com faixa etária entre 8 e 18 anos passam, em média, sete horas e 38 minutos por dia em frente a aparelhos eletrônicos como computadores, televisão e videogames, nos EUA. Tal fato pode propiciar falhas na coordenação motora além de problemas graves na coluna: "A fase de desenvolvimento de crianças e adolescentes tem uma maturação óssea muito importante, sendo necessária a boa postura e a prática de exercícios físicos no intuito de evitar deformidades", explica Marcelo Perocco, neurocirurgião especializado em coluna.
A coluna cervical é um dos elementos mais importantes do corpo, é ela que dá sustentação e movimento, por isso estar atento aos cuidados básicos é primordial, principalmente na fase do seu desenvolvimento. O especialista explica que na posição sentada é acumulada maior carga na coluna, por isso as crianças, assim como os adultos, não devem permanecer sentados por mais de uma hora na mesma posição. A postura ideal é manter a coluna ereta com os ombros alinhados com o quadril, e o centro da tela tem que estar na altura dos olhos.
O médico afirma também que doenças como tendinite e hérnia de disco, que eram comuns em adultos, agora estão atingindo as crianças, e a principal causa é o sedentarismo precoce e má postura. Para evitar dores precoces e problemas mais graves no futuro o ideal é que os pais limitem o tempo em que a criança poderá ficar sentada em frente ao videogame ou computador, e reserve esses momentos para dias que não é possível desenvolver uma atividade aeróbica, como em dias chuvosos e muito frios.
"Os pais devem incentivar a criança a brincar e se divertir com atividades como pedalar, correr, praticar um esporte. Na fase que a criança está em formação é de extrema importância que ela se exercite, deixando que a mente e o corpo cresçam e se desenvolva de forma saudável", finaliza o neurocirurgião. (V.F.).


Imagem ilustrativa da imagem Um alívio para as costas
Depois de quase um ano praticando pilates, Talita já percebe os benefícios dessa atividade física
Imagem ilustrativa da imagem Um alívio para as costas
Talita revela que na escola aprendeu muito sobre atividade física e agora sabe que faz bem à saúde