O inglês voltado aos profissionais que não têm tempo de frequentar um curso regular é uma alternativa eficiente para o público adulto. Segundo Roger Ohara, coordenador-geral do Cultural, o objetivo é que o aluno seja competente no idioma, e não proficiente. "Ele é preparado em cursos específicos para falar, ler, escrever e entender inglês, sem necessidade de chegar a um nível avançado", ressalta Ohara. Na prática, o aluno será capaz de manter uma conversação informal, escrever um e-mail, atender a um telefonema e até ministrar uma palestra.
Foi o que aconteceu com um médico, aluno da escola, que procurou o curso para montar uma palestra em inglês que seria feita nos Estados Unidos. "Ele tinha dois meses para se preparar. Primeiro trabalhamos o vocabulário da palestra, depois a tradução do conteúdo para o inglês e a simulação de perguntas da platéia", conta Ohara.
Profissionais que atuam em companhias aéreas são outro foco da escola. Para esse nicho foram elaborados livros específicos, utilizando lousas interativas que permitem a reprodução de vídeos.
Os cursos para profissionais existem há mais de 10 anos no Cultural. Com média de 10 alunos por classe, têm duração de 6 estágios semestrais com cerca de 45 horas por semestre. Já o programa de aulas individuais chamado Flex Time tem a vantagem de ser montado com foco na necessidade do aluno. (E.S.)


Imagem ilustrativa da imagem Sob medida
"Profissionais de diversas áreas são preparados para falar, ler, escrever e entender o inglês", explica Roger Ohara, coordenador-geral do Cultural