Produtos direcionados para o público feminino abarrotam as prateleiras de farmácias e supermercados. A grande variedade, muitas vezes, deixa as mulheres confusas. A situação acaba ficando mais difícil quando o produto em questão são sabonetes íntimos. Os tabus a respeito da higiene feminina ainda existem e há quem relacione estes hábitos à sexualidade, o que não é verdade, segundo especialistas.
O uso de sabonetes íntimos pode ser uma indicação do ginecologista, mas vale destacar que ele não é um medicamento e não trata doenças. De acordo com o médico ginecologista Evaldir Bordin, este tipo de produto é recomendado para as pacientes que apresentam alguma queixa. ''Geralmente, indicamos para aquelas que se sentem indomodadas com o corrimento natural'', diz. Ele acrescenta que primeiramente é necessário avaliar se este desconforto tem origem patológica ou se é fisiológico.
O médico explica que a vagina tem uma flora bacteriana benéfica e que o estresse ou a queda de imunidade favorecem o aparecimento de fungos e bactérias prejudiciais ao organismo. A situação provoca desconforto e precisa da intervenção de medicamentos para ser tratada.
Segundo ele, a manutenção do Ph ácido da vagina é importante para evitar problemas. ''As mulheres mais antigas tinham o hábito de fazer duchas e lavar, inclusive, dentro da vagina. Esta não é uma prática recomendada nem se a mulher estiver usando um sabonete íntimo'', esclarece. Segundo ele, o produto serve para fazer a higienização na área genital e a lavagem interna prejudica o organismo.
Sabonetes íntimos podem ser usados por mulheres de todas as idades, inclusive por crianças, como explica o ginecologista. ''Às vezes a menina brinca na areia e começa a ter um leve corrimento que incomoda a mãe. Neste caso, orientamos que se faça a lavagem da área genital com o sabonete'', diz. Ele explica que também é frequente a indicação para mulheres na menopausa, já que, conforme o médico, nesta fase da vida a parede da vagina fica mais fina e mais sujeita ao aparecimento de corrimentos.
Entre as mulheres em fase reprodutiva, Bordin orienta que o produto seja usado apenas quando ela se sente incomodada. ''Este tipo de sabonete pode ser usado diariamente quando o desconforto é grande. Quando o incômodo diminui, a frequência pode ser reduzida'', alerta.
Apesar de o sabonete íntimo ter uma composição que não agride a mucosa vaginal, o médico orienta que as mulheres que não apresentam queixas usem o sabonete em barra normal no dia a dia. ''O bactericida não é indicado para esta região porque pode interferir na flora benéfica'', diz. Segundo Bordin, este tipo de produto traz uma sensação de maior conforto, mas não diminui a produção de muco, que é natural na maioria das mulheres.

Imagem ilustrativa da imagem Sabonetes íntimos: como e por que usar?
| Foto: César Augusto
O médico ginecologista Evaldir Bordin: ''Geralmente, indicamos para aquelas que se sentem indomodadas com o corrimento natural''