Pequenas trouxinhas de algodão, recheadas de ervas aromáticas e sal grosso, aquecidas e embebidas em uma mistura de óleos vegetais e essenciais são promessas de bem-estar. A técnica chinesa das pindas, utilizada há milhares de anos na Ásia para massagear o corpo, chegou ao Brasil depois de virar mania em spas europeus.
Indicada principalmente para combater os sintomas do estresse, TPM, dores musculares, enxaqueca, cólicas e constipação intestinal, a técnica também atua sobre o sistema respiratório, descongestionando as vias respiratórias, e ativa a circulação sanguínea, diminuindo a retenção de líquidos, explica Daniela Custódio, professora do curso de Estética e Cosmética da Unopar e profissional da área.
"Dependendo do estado físico e emocional da pessoa, é feita a escolha da erva e do óleo essencial que será utilizado, por isso a pinda é preparada sob medida e descartada após o uso. Para aplicar a técnica, é preciso ser profissional com formação na área", explica.
A massagem com a pinda também funciona como acessório de beleza. Devido ao sal grosso e aos óleos usados para massagear, ela promove a esfoliação da pele e a hidratação ao mesmo tempo.
A duração do tratamento vai depender de cada caso; as sessões duram cerca de 1 hora. "O objetivo é agir sobre os sintomas e na busca de qualidade de vida", assinala Daniela. Segundo ela, esse tratamento não é indicado para pessoas com dermatite, câncer, pressão alta, cardíacos, grávidas e pacientes em estado febril.

Imagem ilustrativa da imagem Relaxe com as pindas
| Foto: Fotos: Fernando Cremonez e reprodução
"A pinda é preparada sob medida e descartada após o uso. Para aplicar a técnica, é preciso ter formação na área", explica a professora de estética Daniela Custódio, da Unopar
Imagem ilustrativa da imagem Relaxe com as pindas
Entre os benefícios trazidos pela técnica estão o combate ao estresse, TPM e enxaqueca