Precisa organizar seu armário, o quarto ou a cozinha e está sem tempo? Quer trocar o carro e ainda não decidiu que modelo comprar? Está difícil cozinhar dentro de uma dieta balanceada? Não consegue achar o vestido perfeito para uma ocasião especial? Hoje, existem consultores oferecendo soluções imediatas para quase todos os problemas.
Pioneiros neste tipo de serviço, os personais trainers ficaram tão populares que fizeram escola. Depois da ginástica personalizada, os atendimentos diferenciados cresceram - e muito. Atualmente é notório ver este tipo de serviço sendo contratado para tarefas tidas antigamente como muito pessoais.
Em grandes centros, como São Paulo, é possível contratar o serviço de um personal shopper, personal sex trainer, personal chef, personal nerd, personal dancer e até os mais bizarros, como personal sono, spritual trainer, personal paquera, personal gestante e, acreditem, personal amigo.
Há cinco anos, Leandro Mareze transformou sua técnica e conhecimento em automóveis - desde mecânica até mercado - em uma profissão: personal car. Ele notou que havia muitas pessoas sem tempo, conhecimento e paciência para lidar com os problemas do dia a dia de um carro ou mesmo dúvidas na hora de uma compra, por exemplo.
''Atendo mulheres, empresários, profissionais liberais e empresas. Pessoas que estão fora do país, mas fazem questão de manter seu carro em condições aqui, também são clientes. A comodidade e a economia deste trabalho são o que mais os clientes gostam. Mesmo pagando pela minha assessoria, os clientes chegam a economizar 30% em média'', conta ele, que cobra R$ 50 por hora, podendo este valor variar se for o caso de uma restauração de um antigo carro, por exemplo, que demanda mais tempo.
O trabalho de ajudar os clientes a resolverem problemas relacionados a carros, desde uma simples lavagem, passando pela manutenção, venda, compra, financiamento, seguro etc, ainda gera, segundo Mareze, uma certa desconfiança e desconhecimento das pessoas.
''Mas mesmo assim, no meu caso, não me lembro de ter perdido clientes. Todos gostam da minha assessoria e sempre vem clientes novos indicados pelos já clientes. Com isso, acredito que essa profissão tende a crescer mais'', completa.
Quando o assunto é serviço de organização de ambientes domésticos, através de métodos que possibilitam a criação de soluções para a rotina do dia a dia, Alice Yamauchi Tiba é uma especialista. Ela tornou-se personal organizer por notar que muitas pessoas tem verdadeira ojeriza de organizar a casa, seja durante uma mudança, seja para colocar os armários em ordem ou dar fim a materiais que não usam mais.
O serviço, como explica ela, não é dos mais baratos, já que trata-se de algo personalizado, onde tudo passa por suas mãos. ''O valor fechamos na hora da consultoria'', diz a profissional, que define seus clientes como pessoas de mente aberta, que querem se desfazer de objetos, roupas e coisas que não usam.
''Doar, por exemplo, seria um ótimo gesto, se não usa mais, por que ficar encostado? São pessoas que estão com vontade de melhorar o ambiente onde moram'', diz.
Para desempenhar a função, relativamente nova, Alice descreve que é necessário ter muita experiência na arrumação de armários, guarda-roupas e despensas. Também é necessário saber organizar de forma que as pessoas não percam tempo procurando o que foi organizado por ela, ou seja, o objetivo, frisa a personal organizer, é tentar facilitar a vida de cada um, e mais, dar uma orientação para quem trabalha no local.
''Este trabalho é novo e, por isso, muitas pessoas ficam com o pé atrás. Cada organização depende do espaço, projeto dos closets, despensas, armários e também dos moradores e funcionários para manter tudo o mais organizado possível. Quando pego uma casa completa para organizar, eu retorno depois de um mês para ver se está tudo correndo bem ou se querem que eu mude alguma coisa. Costumo dar manutenção também, o que leva menos tempo'', diz.

Imagem ilustrativa da imagem Personal para quase tudo



Leia a reportagem completa em conteúdo exclusivo para assinantes da FOLHA.

- Lições na hora de comer

- Precisamos de tanta ajuda?