''Este será o século das mulheres''. A frase é da presidente Dilma Rousseff, em seu discurso de abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, no ano passado. Ela ainda completou: ''Pela primeira vez na história das Nações Unidas, uma voz feminina inaugura o Debate Geral. É a voz da democracia e da igualdade.''
De fato o jogo está virando. Dia a dia as mulheres provam que competência, resultados e profissionalismo nada tem a ver com o sexo da pessoa. Um levantamento divulgado em 2011 pela consultoria de recursos humanos Catho apontou que 20,17% das empresas no Brasil têm mulheres na presidência ou em cargo equivalente.
A louvação à presença de lideranças femininas está em todos os setores. Onde predominava a ação do homem, a mulher passou a mostrar sua dedicação, poder de gestão, racionalidade e inteligência.
Ex-modelo e empresária, Aline Bissochi é um exemplo de mulher moderna e ''poderosa''. Depois de modelar por muitos anos, viu que sua verdadeira vontade era trabalhar com o outro lado do mundo fashion: a produção de roupas.
Hoje, aos 31 anos e casada, a estilista - natural de Cambé - é responsável por uma sofisticada grife que leva o seu nome. Em menos de um ano de mercado, comanda uma equipe de 50 funcionários, que fabrica 600 peças/mês, que são enviadas para mais de 60 pontos espalhados pelo País, tendo em Minas Gerais seu principal e mais luxuoso showroom.
''Desenhava roupas e levava para uma costureira fazer. Resolvi encher uma mala, liguei para as minhas amigas e levei para elas. Foi aí que tudo começou. Sou muito envolvida com meu trabalho e quero solidificar essa loja para, em breve, montar outras pela região, e mais tarde um sistema de franquia'', diz ela, que estima um crescimento de seus negócios de 20% a 30% neste ano.
Uma assumida workaholic, Aline é da turma que tem o trabalho como prioridade e, mesmo assim, como as demais profissionais do mesmo sexo, consegue, com maestria, gerenciar trabalho e casa.
''Tenho muito orgulho quando vejo que grandes conquistas têm mulheres no comando. Fico mais tranquila em saber que uma mulher chefia determinada empresa, ou mesmo quando está em outros cargos. A mulher tem um lado mais humano, mais aflorado para lidar com as coisas. Em muitas vezes, faz porque o coração manda. Gostaria que todas as frentes de negócios fossem comandadas por mulheres. E sempre digo que a mulher que é uma boa administradora, consegue ser feliz tanto no lado pessoal quanto no profissional'', defende.
A dama de muitos negócios
Ao longo de 11 anos, Kozue Imai construiu uma sólida carreira executiva. Presidente do Grupo Imai, composto por uma indústria metalúrgica em Curitiba com uma filial de revenda de autopeças em Maringá, uma construtora em Londrina e uma fazenda de pecuária de corte em Ivinhema, no Mato Grosso do Sul, Kozue emprega hoje mil funcionários.
Na trajetória dessa grande empreendedora, porém, nem tudo foi um mar de rosas. Foi quando seu esposo faleceu, em 2001, que ela mostrou o talento de sua força de trabalho. Sabendo pouco - ou quase nada - dos negócios da família, Kozue assumiu as empresas e, em três anos, duplicou o faturamento delas.
''Existia uma natural reserva de desconfiança das pessoas com relação a mim. Eu tinha que provar primeiramente para mim mesma a têmpera de meu espírito para a superação dos obstáculos que encontraria pelo caminho que escolhi. Não foi fácil no começo, mas verifico que as dificuldades aumentam à medida que vou assumindo a consciência da responsabilidade que representa ter tantas pessoas que dependem de minhas decisões'', conta.
Participando de todas as tomadas das principais resoluções de seus negócios, do trabalho e da família, a maringaense fez uma conciliação harmônica. Ela alia a rotina profissional intensa - com muitas viagens e rodadas de reuniões - à leitura, à sensibilidade, à intuição e à suavidade - fortes características femininas.
''Eu entendo que a humanidade sempre careceu da participação feminina mais efetiva, seja no seio familiar, social, profissional ou político. Como poderia ser diferente, se dela brotam os primeiros ensinamentos que vão formar o caráter dos homens futuros? Entretanto, pela sua modalidade pacificadora, a mulher contribuiu para formar uma sociedade machista por muitos anos'', contextualiza.
Se há receita para ser uma grande líder, Kozue não sabe. Mas a executiva, que em 2006 foi indicada ao Prêmio Claudia - que premia mulheres que se destacaram em diferentes áreas profissionais - faz sua definição. ''Para ser uma grande líder é preciso ter coragem, fibra e muita fé. Precisa acreditar e confiar em sua própria capacidade. Mas a principal empresa que terá que aprender a lidar é a sua própria vida. Nessa empresa terá que se valorizar como mulher, pois nesta, somente nela, poderá atingir e mostrar seu valor.''


Imagem ilustrativa da imagem O olhar feminino no poder
| Foto: Theo Marques
Kozue Imai construiu uma sólida carreira executiva: ''Para ser uma grande líder é preciso ter coragem, fibra e muita fé''
Imagem ilustrativa da imagem O olhar feminino no poder
| Foto: César Augusto
Ex-modelo e empresária, Aline Bissochi é responsável por uma sofisticada grife que leva o seu nome: ''Tenho muito orgulho quando vejo que grandes conquistas têm mulheres no comando''