Preparar o lanche escolar das crianças diariamente é, sem dúvida, um desafio para os pais e exige criatividade. Agradar o paladar dos pequenos não abrindo mão de uma alimentação saudável não é tarefa das mais fáceis. Variar sempre o cardápio é outro dilema enfrentado por quem precisa organizar a lancheira todos os dias.
Segundo a nutricionista Carla Regina Pires, professora da UniFil e mestre em saúde materno infantil, uma saída é montar um cardápio semanal. ''Desta forma, especifica-se o dia que é bolo, pão, iogurte, suco de fruta. Isso ajuda também na organização da compra'', afirma.
Ela destaca que é importante conhecer a preferência da criança para não mandar alimentos que ela não goste. Afirma, no entanto, que cabe aos pais incentivar o consumo de alimentos saudáveis. ''Se a criança não gosta muito de fruta, deve-se oferecer a de melhor aceitação, mas não deixar de mandar. É importante sempre colocar entre as opções um item que ela goste e outro que goste menos para não correr o risco de ficar sem se alimentar'', pontua.
Para tornar o lanche atrativo e estimular o consumo, alguns aspectos devem ser considerados. De acordo com a nutricionista, quanto mais colorido, melhor, pois chama a atenção da garotada. Além disso, a forma como os alimentos estão embalados pode contribuir para a criança aceitar ou não. ''Algo muito difícil de abrir ou muito amassado, por exemplo, dificilmente a criança come'', cita.
E como ninguém é de ''ferro'', esporadicamente é permitido incluir algumas guloseimas. ''O ideal é evitar, mas uma vez na semana pode ser negociado. Mas, se a criança levar um salgadinho tipo chips, não deve levar refrigerante e nem chocolate no mesmo dia. Deve-se escolher apenas um tipo de guloseima'', orienta.
Há escolas de educação infantil que geralmente estipulam um dia do mês - a última sexta-feira, por exemplo - para ser o ''Dia do lanche livre ou do lanche diferente''. Aí sim, as crianças podem levar doces, refrigerantes e outras ''delícias''.

Cardápio ideal
A nutricionista ressalta que no momento de preparar a lancheira dos filhos é fundamental pensar nos grupos de alimentos, como carboidrato, proteína, vitaminas e minerais. ''O lanche deve ser prático, visto que muitos pais trabalham e não têm tempo de preparar algo muito elaborado. Mas tem que ser o menos industrializado possível'', alerta.
No que diz respeito aos grupos alimentares, Carla explica que os carboidratos podem ser representados por pães ou biscoitos sem recheio, de preferência integrais, pois são ricos em fibras e ajudam no bom funcionamento do intestino. ''Sugiro bolos simples, como cenoura, laranja, sem cobertura e recheio'', acrescenta.
Já a proteína pode ser representada por iogurtes, leite e derivados. O pão de queijo pode ser uma boa opção e normalmente agrada as crianças. ''As vitaminas e minerais podem vir da fruta ou suco de fruta natural'', comenta.
Além do preparo do lanche, é fundamental ter cuidado com a forma de embalar e armazenar os alimentos. ''Devem ser embalados separadamente e a lancheira pode ser comum. A garrafinha, porém, deve ser térmica para acondicionar melhor o suco ou o iogurte e manter a bebida mais gelada'', considera.
Carla não indica alimentos à base de leite e seus derivados em dias mais quentes, somente se a lancheira for térmica. ''No caso da lancheira térmica, dá para variar mais nos lanches e incluir maionese, requeijão e queijo'', observa.
Ela ressalta que os produtos de geladeira devem ser retirados e colocados na lancheira somente no momento de sair para a escola. ''Não é bom deixar armazenado na lancheira com muita antecedência, pois quanto mais o produto ficar acondicionado melhor será sua qualidade'', explica.

Imagem ilustrativa da imagem O dilema do lanche diário



Leia a reportagem completa em conteúdo exclusivo para assinantes da FOLHA.