Uma alimentação adequada é importante para manter a saúde e o bem-estar de qualquer pessoa. Os animais de estimação também precisam de nutrientes balanceados para uma boa qualidade de vida. As rações disponíveis facilitam a vida dos proprietários já que possuem nutrientes balanceados e atendem a necessidade dos animais nas diferentes fases da vida.
De acordo com a médica veterinária e professora da Unopar, Flávia Navas Padilha, oferecer uma alimentação caseira balanceada é muito difícil. ''As rações são feitas com base em estudos nutricionais, elas possuem equilíbrio entre os nutrientes que são necessários para a manutenção da vida dos animais'', afirma.
Além desta vantagem, a ração é mais fácil de manipular e oferece praticidade e segurança ao proprietário. A professora acrescenta que, como o nível de fibra é adequado, os animais apresentam fezes em consistência mais firme e algumas marcas possuem substâncias que auxiliam na redução do cheiro das fezes.
Para cada fase
As rações de filhote devem ser dadas para cães e gatos a partir dos 30 dias de idade. ''É um período especial, usamos a ração de filhote acrescida de água para que fique mole e os filhotes consigam comer'', explica a veterinária. Segundo ela, as rações de filhotes têm alto índice energético e proteico. Animais de raças de porte pequeno podem ser alimentados com este tipo de ração até cerca de um ano. Já nos cães de grande porte o período pode se estender até um ano e meio. ''Não recomendamos que um animal adulto seja alimentado com este tipo de ração, pois se ele for sedentário pode acabar ficando obeso'', afirma.
A ração para animais adultos pode ser mantida até cães e gatos chegarem aos sete anos de idade. A partir desta fase, a veterinária recomenda que o proprietário ofereça uma ração para animais idosos. ''As rações sênior possuem antioxidantes e nutrientes que fazem diferença até mesmo para a prevenção de doenças'' destaca. Flávia acrescenta que existem ainda as rações terapêuticas, que são especiais para animais que apresentam alguma patologia específica.
De acordo com a veterinária, a principal diferença das rações está na qualidade da matéria-prima utilizada pelas empresas. Ela recomenda que os proprietários comprem sempre o pacote fechado, evitando adquirir rações a granel. ''Os pacotes abertos ficam expostos à luz e à umidade, isso provoca a perda de diversos nutrientes e favorece o crescimento de fungos'', destaca. Segundo ela, após abertos os pacotes devem ser armazenados em potes herméticos para que não percam a qualidade.
Cães e gatos
As rações de cães e gatos possuem diferenças, principalmente no teor de proteínas, que é adequado às necessidades de cada animal. Por isso, a veterinária não recomenda que as pessoas deem ração de cachorros para os felinos e vice-versa.
Oferecer alimentos ao animal, além da ração, pode ser prejudicial à saúde dele. Flávia explica que este hábito favorece o acúmulo de gordura e pode levar à obesidade. ''A ração é suficiente para manter o animal saudável. Dar outro tipo de alimento é excesso'', alerta. De acordo com a veterinária, bifinhos e ossinhos podem ser oferecidos esporadicamente como recompensa por um comportamento positivo. Apesar disso, é importante ter um limite e obedecer as recomendações da embalagem em relação à quantidade e ao peso do animal.

Imagem ilustrativa da imagem Nutrição e qualidade de vida
| Foto: Shutterstock
As rações são feitas com base em estudos nutricionais