João Pedro Kussano Salvadore, 13 anos, sempre gostou de animais. A mãe, Thaís Vanessa Kussano Salvadore, conta que o menino ficava encantado ao entrar em lojas de aquarismo. Há dois anos, um presente dado pelo avô despertou na família um sentimento diferente pelos peixes de aquário. Norberto Kussano já é falecido, mas sem querer ensinou ao neto uma lição de respeito à vida.
''Sempre que olho o aquário me lembro dele'', afirma João Pedro. Thaís conta que a casa dos Salvadore ganhou mais cor e vida após a chegada dos peixes. É impossível não entrar na residência e ir direto para o aquário. ''Os peixes chamam muita atenção'', afirma.
O aquário atual da família tem 50 litros, alguns peixes espada e quase 20 peixinhos neons. ''Já tivemos peixes bem maiores, e fomos substituindo aos poucos. Gostamos desta espécie porque eles são brilhantes, estão sempre em cardume e dão um lindo efeito ao aquário'', explica. Apesar da grande fauna do aquário, um dos peixinhos recebe atenção especial dos moradores da casa. Thaís conta que ele é vermelho e preto e tem uma certa ''personalidade forte''. ''Ele perturba os outros peixes, entra e sai da casinha que fica no fundo. Acabamos nos apegando a ele'', conta, destacando que João Pedro não abre mão do peixe preferido.
Para Thaís, o aquário é interessante porque reúne a família. A limpeza fica por conta de João Pedro e do pai Rodrigo Salvadore. ''Já tivemos nascimento de peixinhos no nosso aquário, tivemos um cascudo que era todo pintado e parecia uma onça, peixes de espécies diferentes e até mesmo uma rã'', lembra.
A família de João Pedro tem os peixes como animais de estimação e Thaís garante que eles cumprem muito bem este papel. ''Por mais que a gente não tenha contato físico com estes animais, nós nos apegamos a eles'', salienta. (M.A.)


Imagem ilustrativa da imagem 'Nós nos apegamos a eles'
Thaís Salvadore e filho João Pedro: aquário une a família