Havaianas by Adriana Degreas

Sofisticação é a palavra que define o novo chinelinho da Havaianas assinado pela estilista Adriana Degreas. Intitulada ‘‘Copa’’, o modelo une a simplicidade de Havaianas ao cenário luxuoso do Hotel Copacabana Palace. A coleção também traz maiôs, túnicas e biquínis. Além do Brasil, o modelo está disponível em Forte dei Marmi, na Itália, e Beirute, no Líbano.


Imagem ilustrativa da imagem NOITE DIA
| Foto: Divulgação/Cavalera
Sergio Marone é um colecionador de lindas namoradas. O paulista de 31 anos já se relacionou com Danielle Winits, Maitê Proença, Alinne Moraes, Naomi Campbell e, no fim do ano passado, ele e Débora Bloch - 18 anos mais velha -romperam o namoro. Produzindo o filme ‘Jesus Kid’, o romance de Lourenço Mutarelli, no qual também vai atuar, e integrante do movimento ‘Gota d’água, uma campanha que discute o planejamento energético do país, Marone também é um cara ligado na moda. Em recente desfile da Cavalera, o ex-modelo e ator comentou sobre sua relação com o universo fashion. ‘‘Passei a entender um pouco de moda quando trabalhei como modelo. Me identifico com as marcas Cavalera e Hercovitch. Mas não sou muito de tendências’’
Imagem ilustrativa da imagem NOITE DIA
As gêmeas Bruna e Flavia Cioff
Imagem ilustrativa da imagem NOITE DIA
Mariana Vertuan, Marcella Feltromile e Maria Eduarda Nogueira
Marmitinha

Capa da revista Corpo a Corpo de março, Anna Hickmann contou como mantém as curvas em dia. ‘‘A minha alimentação é de acordo com um velho ditado: tomo café como uma rainha, almoço como uma princesa e janto como uma mendiga. Logo, meu café da manhã é bem reforçado e carrego minha marmitinha para fazer lanchinhos a cada três horas para, assim, não correr risco de comer algo engordativo por estar com fome’’.


Educação à francesa

A jornalista americana Pamela Druckerman revela no seu best-seller ‘‘French Children Don’t Throw Food’’ (Crianças francesas não jogam comida no chão) o segredo francês de educar os filhos. A escritora, que viveu durante dez anos em Paris, ficou abismada de ver como as francesas criam os filhos mais bem-educados do planeta. No livro, ela cita limites à francesa, tais como: as crianças devem dizer olá, tchau, obrigada e por favor; quando elas se comportam mal, use a tática dos ‘olhos grandes’ - um olhar severo de repreensão; pais franceses dizem: ‘‘Sou eu quem decide’’; não tenha medo de dizer não, as crianças precisam saber lidar com a frustração.