Os dias de baixas temperaturas já estão batendo à nossa porta, e com eles a necessidade de aumentar os cuidados com a hidratação da pele. No inverno, os riscos de ressecamento são maiores que nas outras estações do ano, principalmente em função do vento, períodos de baixa umidade do ar, diminuição da transpiração e o costume de tomarmos banhos mais quentes e demorados. O resultado pode ser uma indesejável aspereza na pele, perda da elasticidade, descamação e até rachaduras.
Apesar do desejo de nos enxugarmos e vestirmos uma roupa quentinha o mais rápido possível, não dá para descuidar. ''O ideal é que o hidratante fique ao alcance das mãos, para que seja usado dentro do box, com a pele ainda úmida'', recomenda a dermatologista Lígia Martin.
Ela também chama a atenção para a importância de usarmos produtos desenvolvidos especificamente para o rosto e para o corpo. ''Até existem linhas que podem ser usadas em ambas as áreas, mas devem ser usadas com indicação médica. De maneira geral, os hidratantes para o corpo têm concentrações diferentes e, portanto, são absorvidos de forma distinta. Quando usados no rosto, podem produzir mais oleosidade e provocar comedões (acne). A pele do rosto normalmente já é mais oleosa e delicada, portanto exige um produto de textura mais suave'', afirma a médica.
A dermatologista alerta ainda para a necessidade de continuarmos usando filtro solar, mesmo nos dias mais frios. ''O sol continua agindo na nossa pele, por isso ela tem que estar protegida sempre. Além disso, os protetores colaboram para a hidratação da pele, impedindo a perda de água. Usar um bom filtro solar é meio caminho andado no cuidado com a pele'', defende Lígia Martin.
Outros cuidados recomendados pela médica são relacionados à temperatura da água do banho, que deve ser o mais fria possível; ao uso de sabonete, que deve ser utilizado com parcimônia; e à quantidade de banhos ao dia. ''O melhor é tomarmos apenas um banho, para não corrermos o risco de destruirmos a barreira cutânea (camada de hidratação que a própria pele produz) e começarem as coceiras, comuns no inverno.'' Por fim, a dermatologista alerta para o perigo das micoses, que tornam-se mais comuns nesta época do ano em função de outro erro comum: enxugar-se muito rapidamente e não secar adequadamente as dobras e meios dos dedos, que ficarão abafados sob roupas e sapatos fechados.

Cuidados com o rosto
O uso de produtos como hidratantes e protetores solares específicos para o rosto ainda não é um hábito para 41% das brasileiras, embora esta seja uma das partes do corpo mais valorizadas pelas mulheres. Este foi um dos resultados de pesquisa desenvolvida pelo Instituto Análise, a pedido da Natura. ''Muitas utilizam no rosto o mesmo hidratante do corpo'', ressaltou Lucas Figueiredo, gerente de Marketing de Chronos durante evento promovido pela marca em Bento Gonçalves (RS), na semana passada, como parte do lançamento de novos produtos da linha (leia mais nesta página).
De acordo com os dados levantados na pesquisa, os cosméticos mais consumidos pela brasileira são aqueles para o cabelo, perfumes e sabonetes. Os produtos para o rosto ocupam o nono lugar no ranking dos mais consumidos. ''Trata-se de um mercado com grande potencial'', defendeu Figueiredo, lembrando que os cosméticos desenvolvidos especificamente para o rosto representam apenas 5% do que as brasileiras consomem quando o assunto é beleza. No Japão, estes produtos somam 45% do consumo do setor.
* A jornalista viajou a Bento Gonçalves a convite da Natura.

Imagem ilustrativa da imagem No frio, a pele pede mais atenção
| Foto: Fotos: Divulgação