Não é de hoje que os especialistas alertam para a necessidade de inovar para se manter e se destacar no competitivo mercado. Para Miguel Ângelo Scotti, professor de planejamento estratégico e organização do Instituto Superior de Administração e Economia da Fundação Getúlio Vargas (ISAE/FGV), todos os segmentos precisam criar diferenciais, a fim de ganhar a preferência dos clientes. ''Os salões de beleza estão seguindo uma tendência nacional ao agregar novos serviços. É o que acontece com as farmácias e postos de combustíveis, por exemplo, que criam suas lojas de conveniência para agradar e fidelizar o consumidor'', afirma Scotti, que é mestre em gestão empresarial.
Ele ressalta que os estabelecimentos comerciais muitas vezes entram em uma dinâmica de mercado e acabam padronizando os serviços oferecidos. ''Neste processo, um vai limitando o outro e todo mundo acaba ficando igual. É preciso ''fugir'' desta dinâmica e inovar'', aponta o professor, ressaltando que todo cliente gosta de receber tratamento exclusivo.
De acordo com Scott, para expandir os serviços oferecidos é preciso ouvir o consumidor. ''O empresário deve conhecer a sua clientela, identificar o que eles gostam e do que precisam. Uma saída é aplicar uma pesquisa e estar sempre atento ao que dizem'', sugere.
O que normalmente agrada, na opinião dele, são diferenciais que facilitam a vida do cliente. ''Estacionamento próprio, lanchonete e local apropriado para deixar os filhos são opções que chamam a atenção'', cita.
Scott considera o povo brasileiro ''bastante flexível e inventivo'' e ousa afirmar que ''é até mais criativo do que o povo europeu''. ''O que acontece é que aqui não há inovações radicais e sim incrementais, que, como o próprio nome sugere, apenas incrementam o serviço'', pontua.
Para reverter este quadro, na visão dele, o empresariado brasileiro deve inovar e não apenas copiar ou incrementar. ''Claro que se a pessoa não consegue sair na frente, vai ter que copiar para não ficar para trás. Mas o ideal é tentar ser diferente com ações que estejam de acordo com a sinergia do negócio'', finaliza. (P.C.B.)


Imagem ilustrativa da imagem Inovar para não ficar para trás
| Foto: Divulgação
Miguel Scotti, professor: ''O ideal é tentar ser diferente com ações que estejam de acordo com a sinergia do negócio''