Assim que descobriu que estava grávida da primeira filha, a advogada Ruth Maria da Fonsceca Armelin, decidiu mudar seus hábitos alimentares. Procurou uma nutricionista e seguiu todas as recomendações. E todo o esforço valeu a pena. Ruth engordou apenas nove quilos durante a gestação e a primogênita Alice Maria, hoje com 1 ano, nasceu saudável e está se desenvolvendo de maneira satisfatória. Agora, na segunda gravidez - ela está de três meses à espera de Angelina -, a advogada não pensou duas vezes e já engatou novamente a dieta recomendada pela nutricionista.
''Mudei muita coisa na minha alimentação. No começo foi mais difícil, mas agora já me acostumei. Procuro comer de três em três horas e faço seis refeições ao dia: café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, ceia e janta'', conta. Entre as principais mudanças, ela destaca a inclusão do café descafeinado no cardápio. ''Foi uma das coisas mais difíceis para mim. Antes da gravidez tomava café o dia todo. Tive que diminuir e depois começar a tomar o descafeinado'', relata.
Ruth também teve de abrir mão da ''cervejinha'' com os amigos aos finais de semana, diminuir a quantidade de doces, cortar os alimentos industrializados e incluir produtos saudáveis na sua dieta. Entre eles, linhaça, ômega 3, quinoa em flocos, farinha de banana verde, castanha-do-pará, amêndoas, barras de cereais e suco de arroz. ''E tento comer pelo menos três tipos de frutas por dia'', observa.
Além da alimentação saudável, a advogada também não abre mão da atividde física. ''Sempre pratiquei esporte. Joguei rugby por oito anos. Hoje faço musculação três vezes na semana com o acompanhamento de um personal'', diz.
Gestação saudável
Segundo o ginecologista e obstetra Marcelo Mendonça, as mulheres estão cada vez mais conscientes e preocupadas com a saúde. ''Percebo que elas se cuidam mais durante a gestação'', constata.
Ele afirma, no entanto, que - apesar dos cuidados - a maioria das gestantes engorda um pouco mais do que o recomendado. ''Isso acontece por descuidarem da alimentação'', pontua. De acordo com Mendonça, é normal engordar entre 9 e 12 quilos durante a gestação. ''Para isso, a mulher tem de engravidar no seu peso normal. Se estiver acima do peso a situação é diferente'', alerta.
Ele explica que o ganho de cerca de 6 quilos acontece devido ao peso do bebê (3,5kg), placenta (600g), líquido aminiótico (1L) e aumento do volume interino (700g). O restante, conforme aponta o médico, refere-se ao líquido circulante, uma vez que a mulher passa a reter mais líquido, ao aumento do volume da mama, entre outros.
Para Mendonça, o ideal é que a mulher engravide com o peso inicial dentro do seu Índice de Massa Corpórea (IMC), faça uma bateria de exames pré-gestacionais e coloque a carteira de vacinação em dia.
No que diz respeito à prática de atividade física, o médico destaca que nas primeiras 12 semanas é importante não se exercitar, pois nesta fase a placenta ainda está sendo formada. ''Depois disso a mulher está liberada para fazer atividades sem impacto, como hidroginástica, natação, pilates e caminhada''. cita.

Imagem ilustrativa da imagem Gravidez exige novos hábitos alimentares
| Foto: Celso Pacheco
Grávida da segunda filha, a advogada Ruth Armelin aderiu novamente a dieta recomendada pela nutricionista
Imagem ilustrativa da imagem Gravidez exige novos hábitos alimentares
| Foto: César Augusto
O ginecologista e obstetra Marcelo Mendonça informa que é normal a mulher engordar entre 9 e 12 quilos durante a gestação