A comerciária Naíse Stein e o representante comercial Roger Stein, pais de Liz, 8 anos, e Helena, 1, sempre se preocuparam em presentear as filhas de maneira adequada. ''A gente procura impor limites e não ceder aos apelos comerciais, que são grandes'', afirmam. Apesar de o casal presentear as filhas em todas as datas comemorativas, faz o possível para que o foco não seja apenas bem material. ''Procuramos passar o dia em família com atividades prazerozas'', observam.
E no momento de escolher o presente, eles buscam produtos que possam estimular o bom desenvolvimento das meninas. ''Liz gosta de jogos de regras e a Helena, apesar de pequena, além de bonecas, já ganha brinquedos como peteca e livros. Procuramos estimulá-las e não presenteamos somente em datas comemorativas'', comentam.
Naíse e Roger revelam que Liz e Helena não ficam somente em volta dos brinquedos convencionais. ''Elas também gostam de fazer pinturas, recortes e colagens.''
A tática utilizada pelos pais para impor limites foi estipular com as filhas o ''dia do pode'' e o ''dia do não pode''. ''Quando vamos ao shopping e ao supermercado, por exemplo, já avisamos se naquele dia vamos ou não comprar alguma coisa para elas'', relatam. (P.C.B.)

Imagem ilustrativa da imagem Casal busca estimular as filhas
| Foto: César Augusto
Roger e Naíse Stein, pais de Liz, 8, e Helena, 1: ''Procuramos impor limites e não ceder aos apelos comerciais, que são grandes''