Não são somente as mulheres ricas e famosas que conseguem retomar a forma logo depois de uma gravidez. Claro que alguns procedimentos ajudam para que os resultados apareçam mais rápidos. No entanto, não há nada que disciplina e mudança de hábitos não possam resolver.
Segundo o educador físico Andri Calixto Martins, as atvidades recomendadas para o período da gestação são caminhada, alongamento, hidroginástica, pilates, yoga, treinamento com pesos e funcional. Ele destaca, no entanto, que a mulher que não praticava nenhuma atividade física antes de engravidar só deve se exercitar após liberação médica, que normalmente acontece após o primeiro trimestre de gestação. A mulher que sempre teve o hábito de treinar pode continuar com seu programa, ajustando progressivamente intensidade, frequência e duração.
De acordo com ele, algumas atividades devem ser evitadas, principalmente as que envolvem risco de queda ou impacto na barriga, como vôlei, patinação, futebol e basquete.
No entanto, não há dúvidas de que a atividade físíca só traz benefícios nesse período. ''A manutenção do condicionamento físico durante a gravidez evita risco para a saúde, como a hipertensão, diabetes, falta de ar, lombalgias e até a depressão pós-parto. Além, é claro, de contribuir para manter a forma'', pontua.
A mulher deve se exercitar entre três ou quatro vezes na semana, evitando que a frequência cardíaca ultrapasse 140 batimentos por minuto. É importante sempre usar roupas leves, evitar altas temperaturas e hidratar-se adequadamente durante a atividade. ''O papel principal do educador físico é preparar o sistema cardiorrespiratório e musculosesquelético, melhorando o sistema aeróbico e fortalecendo a musculatura'', destaca.
Após ter o bebê a mulher deve retomar as atividades aos poucos. Não adianta se desesperar. ''Inicialmente os exercícios devem ser bem leves como levar o bebê para passear no carrinho. O ritmo deve aumentar progressivamente'', alerta o educador. O tempo para retomar a frequência e a intensidade de antes é muito pessoal. ''Para quem fez cesárea, é preciso esperar pelo menos 90 dias para os pontos estarem bem cicatrizados''.
Mas não vale investir em uma boa atividade física se a mulher não se alimentar corretamente. A nutricionista Kamylla Garbuio destaca que a alimentação da gestante deve ter qualidade e quantidade suficientes para assegurar o crescimento do feto e a manutenção da saúde da mãe.
A dieta da gestante deve ser rica em carboidratos, proteínas, vitaminas e minerais.
Os alimentos ricos em ferro, segundo ela, também devem ser incluídos no cardápio da gestante. ''O feto é capaz de retirar o ferro da circulação materna. Uma dica para ter uma boa absorção de ferro é associá-lo a vitamina C, que pode ser encontrada nas frutas cítricas'', pontua. Outra substância fundamental é o cálcio, uma vez que contribui para formação do esqueleto fetal e armazenamento e produção de leite materno.
Kamylla lembra que a gestante deve se alimentar de três em três horas, realizando pequenas refeições durante o dia. ''Mastigar bem os alimentos é fundamental e é importante sempre preferir os alimentos integrais por serem ricos em fibras'', ressalta.
No período da gestação e amamentação a mulher deve evitar alimentos ricos em cafeína, como café e refrigerantes a base de cola. (P.C.B.)


Imagem ilustrativa da imagem Atividade física e boa alimentação são fundamentais
O educador físico Andri Martins afirma que os exercícios mais indicados para as gestantes são caminhada, alongamento, hidroginástica, pilates, yoga, treinamento com pesos e funcional