NetdealEvents

Comerciantes e PM conectados


Vitor Ogawa - Grupo Folha
Vitor Ogawa - Grupo Folha

Baseando-se na premissa de que todos devem unir forças contra a criminalidade, comerciantes e a PM (Polícia Militar) de Londrina têm obtido ótimos resultados na prevenção de roubos e assaltos ao criar grupos em aplicativos de mensagens.

Comerciantes e PM conectados
Gustavo Carneiro - Grupo Folha
 




São pelo menos seis grupos no WhatsApp com integrantes do comércio e PM. Um dos mais antigos é o Centro Seguro, criado em 2016 e formado por quase 300 comerciantes. Hoje é administrado em conjunto pelo Sincoval  (Sindicato do Comércio Varejista de Londrina e Região) e Acil (Associação Comercial e Industrial de Londrina). No entanto, o mais numeroso é o administrado pela 4ª Companhia Independente da PM, que reúne 600 pessoas da zona norte. 




Um dos casos que mostra como essa parceria funciona aconteceu há poucas semanas, quando um trio furtou mercadorias de uma loja. Um motorista que viu avisou a proprietária da loja, que, por sua vez, alertou no grupo de WhatsApp.  “Logo que coloquei o áudio, os outros lojistas foram acompanhando a movimentação do trio a distância, inclusivo filmando com o celular. Foi tudo rápido. Em 30 minutos eles estavam presos”.


O comandante do 5º Batalhão da PM, major Nelson Villa Junior, reforça que o grupo não substitui a comunicação ao 190. E ressalta que os participantes devem ter cautela.  “O uso dessas ferramentas deve ser feito com muito cuidado. Às vezes, a pessoa empolgada decide intervir, mas isso deve ser feito pela polícia.” 




SALVE A IMAGEM E IMPRIMA PARA UTILIZAR EM SALA DE AULA



Comerciantes e PM conectados
Folha Arte
 








Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias