|
  • Bitcoin 121.291
  • Dólar 5,0427
  • Euro 5,2130
Londrina

Folha Cidadania

m de leitura Atualizado em 05/07/2022, 11:29

Bagagem cultural: leitura torna férias mais divertidas

Inspiradoras e emocionantes, histórias também fortalecem vínculos e formação entre pais, professores e alunos mesmo no recesso escolar

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 05 de julho de 2022

Walkiria Vieira - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: iStock
menu flutuante

Um livro é sempre boa companhia. Nas férias, também. Como programa principal, na espera de um atendimento, no intervalo do trabalho ou antes de deitar e dormir, o tête-à-tête com a  história  é um prazer. As personagens, o enredo e os desfechos são condutores.  As semanas de descanso da rotina escolar permitem colocar a leitura em dia e descobrir novas obras que estão no mercado editorial ou ainda clássicos que só deixam a sua bagagem cultural ainda mais rica. Aventura, ficção-científica ou suspense, há um cardápio variado nesse universo. 

LEIA MAIS

Incentivo à Leitura: no mundo da imaginação

Do ponto de vista da escritora e pedagoga especializada em Pedagogia Empresarial, Artística e Hospitalar, Vilma Rezende as férias escolares combinam muito com leitura e o caminho até ela pode ser bastante criativo. "Transforme  a leitura em uma aventura,  leve a criança para  conhecer  a biblioteca  seja a municipal ou do SESC,  pois elas estão abertas no período  de férias.  Explore o caminho  até chegar lá,  mostre que lá tem espaço para brincar  e tem quebra-cabeça  de locais se Londrina", sugere. 

Vilma Rezende, escritora e pedagoga: ""Transforme  a leitura em uma aventura,  leve a criança para  conhecer  a biblioteca " Vilma Rezende, escritora e pedagoga: ""Transforme  a leitura em uma aventura,  leve a criança para  conhecer  a biblioteca "
Vilma Rezende, escritora e pedagoga: ""Transforme a leitura em uma aventura, leve a criança para conhecer a biblioteca " |  Foto: Divulgação
 

A professora diz que os responsáveis podem falar sobre seu livro preferido  na infância  e se ele ainda  existe. "Se existir,  explore  a biblioteca local  e crie mais um momento afetivo com as crianças". E emenda: Faça leitura  com livros  que convidem para realizar  atividades juntos, a garotada ama,  seja de culinária fácil  ou atividades relacionadas  ao livro. Use livros atemporais,  ou seja livros que já foram lidos já relidos e sempre voltam ao meio da leitura  por serem  clássicos  ou muito requisitados. Exemplo: 'Alice  no  País das  Maravilhas'  e outros conhecidos, converse  se já leram na escola  e que atividades  fizeram com a  professora.  Crie vínculos afetivos  com o livro  e as memórias. E em casa,  faça  uma cabana  de lençol,  use um farolete  e desvende   as histórias  do livro com as crianças", motiva. 

Rezende é autora de "Histórias de Lepe e Zepe", um livro que fala sobre amizades, daquelas que a gente costuma ver na TV, nos desenhos animados, e que dá vontade de ter um amigo igual. Nesse encontro inesperado, dois animais diferentes se encontram e têm a oportunidade de viver suas aventuras. A autora também é contadora  de histórias e atua em treinamentos nas áreas financeira, de organização de empresas, eventos de recreação infantil e cursos em geral. Desde a infância, ama viajar pelo mundo da leitura e da educação, é voluntária na área educacional em projetos sociais, no setor de apadrinhamento brasileiro em educação e educadora na parte de convivência e fortalecimento de vínculos.

LER ESTIMULA MUITAS COISAS

Fundador e CEO da Piva Educacional, startup que ajuda crianças e adolescentes a criarem autonomia para estudar, Bruno Piva é especialista em educação e também considera que o momento de férias e relaxamento é uma oportunidade para incentivar e valorizar a leitura.  Para o especialista, esse período é uma chance para os pais e responsáveis encontrarem formas de entreter os filhos -  e a leitura é uma ótima alternativa. "Além de ser uma prática prazerosa, proporciona benefícios como melhora na concentração, estímulo da criatividade e ampliação do vocabulário."

Bruno Piva: "A leitura melhora a concentração, estimula a criatividade e a ampliação do vocabulário" Bruno Piva: "A leitura melhora a concentração, estimula a criatividade e a ampliação do vocabulário"
Bruno Piva: "A leitura melhora a concentração, estimula a criatividade e a ampliação do vocabulário" |  Foto: Divulgação
 

Piva recorda ainda que  pesquisa realizada pelo Retratos da Leitura no Brasil, 31% dos brasileiros nunca compraram um livro e quase metade não possui o hábito de ler. O estímulo para a leitura precisa acontecer desde a infância e os pais têm um papel importante nesse início de jornada. “Além de todos os benefícios que traz em termos de desenvolvimento e conhecimento, a leitura melhora o relacionamento das crianças e dos adolescentes com o mundo ao seu redor, estimulando mais empatia". 

O incentivador da leitura defende ainda que os livros precisam estar nas prateleiras de todas as casas e os pais precisam entender seu papel na hora de estimular o hábito da leitura”.  E compreende que os e-books são uma forma de atrair os novos leitores habituados com a tecnologia. "Recomendo que deem preferência para dispositivos como o kindle, que não tem notificações. De todo modo, o Ipad colocado no modo avião, e desativadas as notificações é também uma ferramenta de leitura", expõe. “Ler estimula o raciocínio, melhora o vocabulário, desenvolve a criatividade, a imaginação, a comunicação e a escrita e esses benefícios podem ser explicados, de maneira acessível, para que crianças e adolescentes entendam o papel da leitura no seu desenvolvimento”, finaliza o especialista.

CINCO DICAS PARA DESPERTAR O GOSTO PELA LEITURA

O especialista Bruno Piva dá as dicas para pais e professores

1- Seja exemplo 

Os filhos são reflexo dos pais, por isso, a criança e o adolescente precisam ver que os pais têm o hábito da leitura. Outra boa maneira de dar o exemplo é fazendo leitura conjunta com o filho e depois reservar um momento para conversar sobre a história.

2- Dê acesso a livros 

Muitas crianças e adolescentes têm acesso somente a livros que os professores pedem para ler e nesse caso a leitura é uma obrigação. Então, leve-os a livrarias e bibliotecas. Nesses ambientes, eles encontrarão uma variedade de temas e um deles pode atrair a atenção do seu filho. “Comprar livros divertidos, que despertam o interesse e a curiosidade, também é uma forma de tornar a leitura mais acessível. Esse pode ser o ponto de partida de uma história de amor à leitura”, sugere Bruno.

3- Evite livros complexos 

As escolas já solicitam a leitura de livros mais difíceis. É preciso intercalar a obrigação e o prazer. É preciso entender qual grau de complexidade o seu filho consegue ler. O diálogo é importante nessa hora. Quando comprar um livro, pergunte o que ele entendeu da história. Assim, você poderá identificar o que é mais adequado para a faixa etária dele e seu filho verá que você se importa com a satisfação e com o prazer que ele tem na hora da leitura, o que o incentivará a ler mais.

4- Torne a leitura algo prazeroso 

O hábito precisa ir além do momento em que o livro é lido. Inventar brincadeiras sobre a temática do livro que seu filho está lendo, como um jogo da memória, palavras cruzadas ou até mesmo uma caça ao tesouro sobre o assunto, pode ser um bom incentivo. Nesse início de construção de hábitos, é importante atrelar o exercício da leitura a algo prazeroso, caso contrário a criança e o adolescente tendem a perder o interesse. 

5- Fale sobre a importância da leitura

Os pais precisam desde o início falar para os filhos sobre a importância da leitura como uma das formas mais importantes de adquirir conhecimento. Isso pode ser feito de forma descontraída, até mesmo em conversas do dia a dia, nas quais os pais podem comentar sobre suas histórias preferidas e compartilhar o que aprenderam com isso. 

---

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link.