Michael O’Neill: fotógrafo norte-americano diz que o yoga mudou sua vida profissional e a forma de olhar as pessoas
Michael O’Neill: fotógrafo norte-americano diz que o yoga mudou sua vida profissional e a forma de olhar as pessoas | Foto: Gustavo Carneiro



Uma incursão em seu acervo fotográfico pessoal exibido logo nos primeiros minutos do recém-lançado filme "On Yoga: Arquitetura da Paz" não deixa o espectador em dúvida quanto à relevância profissional de Michael O’Neill. Protagonista do documentário, o fotógrafo americano - um dos mais respeitados do planeta - tem em seu currículo imagens que produziu com algumas das maiores celebridades do mundo, incluindo o ator Robert De Niro, o cineasta Woody Allen e o megaempresário Steve Jobs. Seus retratos estamparam capas e editoriais da The New York Times Magazine, Vanity Fair, Time Warner, Fortune e Life Magazine.

Tudo ia bem na carreira de O’Neill até que o peso dos equipamentos que carregava para produzir suas fotografias começou a prejudicar sua saúde. Há 16 anos, com 35 de profissão e reconhecido mundialmente pela excelência de seu trabalho, o fotógrafo enfrentou um problema neurológico e após passar por um procedimento cirúrgico teve seu braço direito paralisado. Mas ao invés de se entregar à tragédia, o americano resolveu mergulhar em busca de autoconhecimento e encontrou na prática da yoga e da meditação os instrumentos que precisava para superar a barreira física que lhe estava sendo imposta.

Após ter se recuperado totalmente do problema, o fotógrafo resolveu compartilhar sua experiência de superação descrita no livro "On Yoga, The Architecture of Peace", lançado em 2015. A publicação acabou caindo por um acidente do destino nas mãos do cineasta brasileiro Heitor Dhalia, que convenceu o americano a ser protagonista de sua própria história no documentário homônimo que acaba de ser lançado. O filme conta a história dos dez anos em que O´Neill passou fotografando grandes mestres do yoga e reproduz conversas que o o fotógrafo teve com grandes pensadores, médicos indianos e americanos, além de professores iogues.

Durante o período em esteve em Londrina para divulgar o documentário que teve uma exibição especial no último final de semana, O´Neill concedeu uma entrevista exclusiva à FOLHA. "O filme é tão brilhante e lindamente executado que se funde com o meu trabalho como se ambos fossem uma coisa só e consegue simplesmente expandir tudo para uma coisa maior. O filme e sua jornada filosófica levantam questões, confrontandio sentimentos e pensamentos que raramente são abordados abertamente. É simplesmente uma contribuição para a consciência", afirmou em relação ao filme "On Yoga: Arquitetura da Paz".

O´Neill acredita que a filosofia iogue também possa ajudar outras pessoas a superar obstáculos . "É uma resposta, eu não imagino minha vida sem yoga. O yoga é um caminho. Seguir esse caminho foi o que me salvou. Foi transformador. Eu me tornei um ser mais alerta, compassivo e consciente", ressaltou ao enfatizar que a prática é ideal para amenizar o sofrimento da sociedade contemporânea. "Todo mundo vive estressado na vida moderna. Yoga e meditação são uma solução para limitar o estresse, para lidar com a vida. Uma solução muito melhor do que, digamos, a medicação. O yoga é uma união entre mente, corpo e espírito. Esse caminho é mais antigo do que os dogmas religiosos. É uma contribuição para a vida das pessoas. Como prática, encoraja o comportamento certo, a paz, a compaixão e a expansão da consciência. Como não ajudaria a mudar o mundo?", questiona.
O fotógrafo salienta que até a forma de olhar sua vida profissional mudou após seu mergulho interior. "Minhas fotos retratam a verdadeira alma das pessoas. Tento através delas passar a personalidade e sempre relacionar com a história de vida de cada pessoa que fotografo", conceituou antes de concluir que após seu mergulho no universo iogue passou a se ver mais como antropólogo do que como fotógrafo.