Uma tradição que vem do século 19 Graças à tradição oral que relata histórias fantásticas de Corsos, Cordões, Blocos, Escolas de Samba e Bailes, que marcaram época, e que foram passados de pai para filho, pode-se ter uma idéia por que Antonina tem tantos aspectos pitorescos. Do final do século 19 até a segunda década do século 20, o Carnaval caracterizou-se pelas ‘‘Brincadeiras de Rua’’. Homens e mulheres saíam às ruas com pinturas imitando bigodes e pintas de beleza. Para isso usavam graxa, barro e banha com carvão de fundo de panela. As ‘‘laranjinhas’’ - bolinhas de cera, cheias de água perfumada - eram atiradas nos moços pelas jovens, que queriam chamar a atenção. Os banhos com baldes de água do mar, tirados de canoas, previamente enchidas, eram uma brincadeira indispensável. Costumava-se reservar cachos de bananas que, amadurecidas, eram saboreadas durante as visitas de confraternização entre as famílias, junto com o Barreado - prato típico do litoral, preferido pelas mulheres que ganhavam energia para acompanhar seus parceiros, na época do entrudo, dançando o Fandango. A partir de 1920, as brincadeiras com água foram substituídas por confetes e serpentinas, permanecendo ainda as pinturas do rosto. As roupas foram ganhando colorido, surgindo as camisas listradas e os chitões. Nesta época existiam sociedades que deram origem aos cordões carnavalescos, compostos de pessoas com as mesmas fantasias e que tocavam violão, cavaquinho, reco-reco e pandeiro animando os salões com marchinhas. O Corso antoninense, no início, era feito com carroças, que percorriam várias ruas, até chegar a Rua XV, toda enfeitada com serpentinas e bandeirinhas. Ali, a multidão atirava grande quantidade de confete, deixando as calçadas forradas. Os mascarados e fantasiados atiravam lança-perfume, os mais velhos ficavam aguardando o Corso na Rua Carlos Gomes da Costa, sentados nas escadarias das casas. Com o passar do tempo, os ‘‘cordões de salão’’ deram origem aos blocos carnavalescos, que animavam o Carnaval de rua. A partir daí começam a surgir as escolas de samba.(E.M.C.)