Imagine a Celine Dion fazendo um show em Londrina. Impossível? Pois, para a comunidade nipo-brasileira, foi algo semelhante o que aconteceu na noite de quinta-feira, no Teatro Marista. A japonesa Aki Yashiro, uma das maiores cantoras de seu país, com 41 anos de carreira, emocionou uma plateia composta por gente de todo o Paraná e interior de São Paulo. Fãs que há décadas vinham ouvindo suas músicas por fitas cassete, CDs e vídeos gravados da tevê japonesa NHK, e que jamais haviam sonhado com uma oportunidade dessas.
Tudo foi feito meio na surdina. Em tempos de Facebook e Twitter, o nome Yashiro Aki (os japoneses dizem o sobrenome primeiro) foi o trending topic do boca a boca na comunidade. ''Soube do show pela minha filha, que mora em Londrina'', contou Hiroko Okuno, 68 anos, de Nova Esperança. Hiroko nasceu no Japão, e nunca imaginou que veria de perto sua cantora favorita no Brasil.
Do mesmo modo, a grande maioria ali soube do show por algum conhecido, e logo tratou de avisar amigos e familiares. Assim, sem praticamente nenhuma divulgação oficial, os cerca de 800 ingressos (que custavam entre R$ 60 e R$ 100) se esgotaram com um mês de antecedência. ''Sou fã dela desde quando era mocinha. Fui ao show que ela fez em São Paulo, há 28 anos. É minha cantora favorita; se não viesse aqui, iria vê-la de novo na capital paulista'', afirmou a professora de ikebana Lia Aihara, 76 anos, de Curitiba.
A apresentação fazia parte do projeto ''Nihon no Uta'', entidade sem fins lucrativos que visa preservar e divulgar as músicas tradicionais japonesas. ''Os shows seriam apenas em São Paulo. Foi a própria cantora que pediu para vir a Londrina. Em 1983, em sua primeira vinda ao Brasil, ela havia passado pela cidade e gostado muito. E elogiou bastante o calor humano dos paranaeses'', revelou o coordenador geral do evento, Ricardo Origassa.
Já na tarde de quinta-feira, várias vans e micro-ônibus começavam a se acumular ao redor do teatro. ''Nós viemos de van lotada, saímos de Arapongas às 17h. Ficamos mais de uma hora de pé na fila, sob o sol, mas valeu a pena'', comentou Margarida Misse, assessora da Associação Brasileira da Canção Japonesa.
Embora constassem do programa apenas sete músicas, sendo duas delas canções tradicionais infantis, a cantora surpreendeu a plateia com outras de seu repertório e principalmente com seu carisma e humildade, interagindo o tempo todo com os espectadores. ''Gente, como é longe! Foi uma viagem cansativa, e o cronograma é bem pesado, não sobra tempo nem para passear um pouco. Mas sou grata por estar aqui, de verdade'', comentou Yashiro Aki.
O público, por sua vez, não só aplaudiu efusivamente antes mesmo de as músicas acabarem, como cantou junto, baixinho, todas as músicas. ''Foi excelente, chegou a tirar lágrimas da gente. Ela é comunicativa, simpática, não se coloca em um pedestal'', elogiaram Junji e Hiroko Nagasawa, de Bauru.

Confira mais fotos do show:

Uma diva da canção japonesa em Londrina
Uma diva da canção japonesa em Londrina Uma diva da canção japonesa em Londrina Uma diva da canção japonesa em Londrina Uma diva da canção japonesa em Londrina Uma diva da canção japonesa em Londrina Uma diva da canção japonesa em Londrina Uma diva da canção japonesa em Londrina Uma diva da canção japonesa em Londrina Uma diva da canção japonesa em Londrina Uma diva da canção japonesa em Londrina Uma diva da canção japonesa em Londrina