Agência Folha
Depois de analisar uma relação de seu início até o fim em ‘‘Pequeno Dicionário Amoroso’’, a cineasta Sandra Werneck pretende discutir as múltiplas possibilidades de um mesmo relacionamento. O resultado dessa reflexão poderá ser visto na sua nova comédia romântica, ‘‘Amores Possíveis’’, em fase final de filmagem. ‘‘Não estou me especializando em comédias românticas, o que quero mesmo é investigar relacionamentos amorosos. Uma coisa que trouxe da minha
experiência com documentários’’, diz Sandra.A obra deve estar finalizada somente em setembro, a tempo de chegar aos cinemas nas férias de fim de ano.
O casal central é vivido pelos atores Murilo Benício e Carolina Ferraz,
namorados na vida real. Os dois vivem uma história que lembra a do filme ‘‘De Caso com o Acaso’’. Carlos (papel interpretado por Murilo Benício) vai ao cinema e espera por Júlia (Carolina Ferraz), que não aparece. Nesse momento são mostradas três possibilidades de futuro para o casal. Para evitar confusões, os próprios membros da equipe e os atores diferenciam seus personagens com números – coisas como Carlos e Júlia um, dois e três.
Na primeira história, Carlos se casa com outra mulher, em uma participação especial de Beth Goulart e se torna um homem contido reprimido. Anos depois, acaba tendo um caso com Júlia. Outra possibilidade é a de Júlia e Carlos se casarem. Nesse caso, após alguns anos, ele deixa a mulher e filhos porque se apaixonara por um outro homem.
O terceiro conto, o mais leve dos três, apresenta Carlos como um inconsequente que nunca se envolve seriamente com nenhuma mulher. Quinze anos depois da fatídica noite do cinema ele acaba, por acidente reencontrando Júlia e os dois se apaixonam novamente. Para Carolina Ferraz, fazer ‘‘Amores Possíveis’’ é, antes de tudo, uma boa oportunidade para seu trabalho de atuação. ‘‘A possibilidade de fazer três personagens em um mesmo filme é deliciosa. É também um desafio compor realmente o personagem sem cair em truques de atuação’’, analisa. Além disso, a atriz gosta muito do gênero. ‘‘Assisti a várias comédias românticas com Spencer Tracy e a Audrey Hepburn, e também sou fã da Meg Ryan e da Julia Roberts.’’
Já Benício compara o filme aos velhos exercícios de teatro. ‘‘Senti-me como no tempo em que o professor mandava fazer o mesmo personagem com algumas variações. Porque é o que esses personagens são: três possibilidades para a mesma pessoa’’, diz.
Os dois atores pediram à diretora que filmasse as histórias separadamente. ‘‘Isso facilita a nossa composição. Inclusive, pedi que a segunda história, aquela em que o meu personagem se descobre homossexual, fosse filmada por último, porque a equipe já estaria acostumada comigo e não ia achar que
essa é a minha praia’’, brinca o ator.
‘‘Esse filme, embora seja uma comédia romântica despretensiosa, é mais
profundo que ‘Pequeno Dicionário Amoroso’, porque fala de livre arbítrio, da coragem das pessoas de acreditarem na vida e aceitarem os defeitos das pessoas às quais amam’’, conclui Benício.Cineasta pretende lançar ‘‘Amores Possíveis’’ até o fim do ano. Filme terá Murilo Benício e Carolina Ferraz como protagonistas
Arquivo FolhaDesta vez, Sandra Werneck vai mostrar as diversas possibilidades de um mesmo relacionamento