Os inconsoláveis no amor têm sempre um CDzinho à mão para atenuar as feridas. Nos anos 80, dizem as más línguas, os yuppies amargavam suas perdas – inclusive aquelas oriundas da quebradeira na Bolsa de Valores de Nova York – ouvindo as canções do inglês Bryan Ferry.
A coletânea ‘‘Slave to Love – The Best of Ballads’’ (Virgin), que chegou às lojas este mês, traz a trilha sonora desses extravios. Ferry, ícone do estilo, reúne 18 faixas derramadas que o aproximam de um certo romantismo cafona contrastando com sua propalada elegância cool.
Uns teclados aqui, um sax acolá e uma voz grave sussurrada são detalhes de um repertório oscilante em que sobra glacê de ponta a ponta. Ferry está com 55 anos. Tem um filho chamado Ottis Redding, em homenagem a um de seus grandes ídolos da soul music. Há quem aponte a dissolução de seu casamento com a modelo Jerry Hall como responsável por sua poética do desabafo.
Jerry o trocou por Mick Jagger em 1978. Coincidência ou não, de lá para cá ele tornou-se o crooner dos enamorados. A faixa-título, que abre o disco, foi a música que o guindou às paradas depois de embalar as cenas tórridas de Mickey Rourke e Kim Basinger no filme ‘‘Nove Semanas e 1/2 de Amor’’. A compilação repassa sua carreira-solo e a fase em que cantava na banda glam Roxy Music empunhando o microfone à frente de Brian Eno, Phil Manzanera, Andy Mackay e Paul Thompson.
É dessa fase o hit ‘‘Avalon’’, ‘‘My Only Love’’, ‘‘More Than This’’, ‘‘To Turn Yoy On’’ e a regravação de ‘‘Jealous Girl’’ (de John Lennon). Ferry aparece ainda ainda interpretando os sucessos ‘‘Smoke Gets In Your Eyes’’ e ‘‘Falling in Love Again’’. Mas o melhor do disco fica por conta de ‘‘These Foolish Things’’, faixa jazzy pontuada por piano, trumpete e performance vocal teatralizada.
O CD chega às lojas simultaneamente a ‘‘Roxy Music – The Early Years’’, também coletânea, contendo faixas dos primeiros trabalhos do grupo. No exterior, o cantor lançou recentemente o álbum ‘‘As Times Goes By’’, com releituras de canções de amor dos anos 30. O incurável Ferry não descansa.