São Paulo, 06 (AE) - Depois de fazer sucesso na TV Record, levantando a audiência do programa de Eliana, "Pokémon" chega amanhã (07) a 300 salas de todo o País, num megalançamento da empresa Warner. A distribuidora espera que o filme venha a ser o arrasa-quarteirão entre as estréias do verão. Nos Estados Unidos, "Pokémon - O Filme" bateu recordes de bilheteria nos primeiros dias. Chegou a ter o melhor desempenho de uma animação na estréia, batendo até "O Rei Leão". Depois, despencou. "Pokémon - O Filme" não se sustentou no boca-a-boca. A curiosidade é saber como reagirão as platéias brasileiras.
Se o público que compareceu à sessão para a imprensa e convidados, na quarta-feira de manhã, valer como amostra, "Pokémon" vai repetir nos cinemas do Brasil o sucesso da TV. A criançada adorou. A febre pokémon, verdadeira pokemania, não inclui apenas o filme, o CD (lançado pela Continental, uma divisão da Warner Music) e a parafernália de objetos à venda, além das figurinhas para colecionar. A Paris está lançando uma coleção de vídeos sob o título genérico de "Pokémon". A distribuidora promete lançar todos os desenhos da TV. O primeiro pacote, de janeiro, tem quatro fitas. A primeira inclui os desenhos "Pokémon Emergência" e "Ash Pega um Pokémon"; a segunda, "O Desafio do Samurai" e "A Exibição na Cidade de Pewter"; a terceira, "Pokémon Cleafairy e a Pedra da Lua" e "As Flores Aquáticas da Cidade de Cerulean"; a quarta, "Os Caminhos da Liga" e "A Escola dos Golpes Duros". Para fevereiro, estão previstos mais quatro volumes: o quinto vai trazer os episódios "Bubassauro e a Vila Escondida" e "Charmander o Pokémon Perdido"; o sexto, "O Esquadrão Square Town" e "O Mistério do Farol"; o sétimo, "A Exibição do Choque Elétrico" e "A Batalha a Bordo do St. Anne", o oitavo, "O Naufrágio Pokémon" e "A Ilha dos Pokémons Gigantes". Todos para rental (aluguel) e sell thru, se você é daqueles pokemaníacos que não dispensam a coleção dos seus pequenos monstros preferidos.
A febre começou no Japão e avançou pelos Estados Unidos e pela Europa antes de desembarcar no Brasil. O filme está sendo lançado no País antes da estréia nos demais países da América Latina. É precedido por um curta, "As Férias de Pikachu". Sim, ele é o mais amado do pokémons, abreviatura de pocket monsters (monstros de bolso), mas o curta só vai agradar aos pokemaníacos de carteirinha. O desenho é tosco, o ritmo arrastado. Se você é o parente escolhido para levar as crianças ao cinema poderá arriscar-se a morrer de tédio.
As coisas melhoram um pouco, mas não muito, com "Pokémon - O Filme", programado para ser o primeiro de uma série. O primeiro episódio chama-se "Mewtwo Contra-Ataca" e talvez surpreenda um pouco o público-alvo do programa por dedicar mais atenção ao vilão do que aos pequenos monstros que fazem a delícia dos baixinhos e baixinhas. (Uma das características da série é que agrada tanto a meninos quanto a meninas.) Esse vilão chama-se Mewtwo e é um clone de um pokémon (Mew). Criado em laboratório para servir aos humanos, rebela-se e forma um exército de clones de pokémons, mais poderosos do que os originais, para dominar o mundo.
Estão todos lá: Ash, o garoto treinador de pokémons, Pikachu e seus companheiros, um exército tão numeroso que só mesmo sendo criança (e fanático) para identificar a todos. Os pokémons e seus clones são levados a defrontar-se em lutas baseadas nos antigos gladiadores. Há um moral de que a força de um pokémon não está no seu poder e sim no coração, o que faz com que, a despeito da violência dos embates, exista uma "mensagem" (vá lá o termo) sobre a força dos sentimentos.
Produzido no Japão e remontado nos Estados Unidos numa versão especial para o Ocidente, o desenho não é bonito nem tecnicamente inovador. A música também é excessiva, mas o público infantil da pré-estréia adorou (e é um programa para crianças). Claro, a inteligência da garotada é mais estimulada em "Castelo Rá-Tim-Bum - O Filme", mas há momentos ternos, centrados na amizade entre Ash e Pikachu, que mostram que a relação entre os pequenos monstros e seu treinador é um tema que cala fundo na platéia de "Pokémon - O Filme".