LITERATURA -

Poesia em dias de isolamento

Na poesia, a quarentena chega como um estalo: provoca reflexões, mudança de comportamento, vira refúgio; alguns poetas contam suas experiências

Walkiria Vieira - Grupo Folha
Walkiria Vieira - Grupo Folha

Compreender a dimensão da pandemia do novo coronavírus não é tarefa simples. Seus reflexos, números e dissabores, também não são sabidos. Em plena quarentena, o isolamento é uma certeza e as transformações futuras, integram as perspectivas.  No tempo presente, entre as iniciativas culturais, a de promover trocas, novas leituras e compartilhar a arte, chega como um escape.



 Para a escritora e produtora cultural Christine Vianna, responsável pelo projeto Palavra Voando, a proposta vem ao encontro do momento vivido em todo o mundo.  Com o objetivo de divulgar ainda mais a poesia londrinense, Vianna explica que o projeto já tinha previsão para ser colocado em ação, mas a reclusão mundial acelerou o passo.  A ideia é que um escritor leia a poesia de outro autor, divulgando-a e fazendo-a circular entre mais pessoas. “Uma maneira de valorizar o trabalho dos que fazem poesia”, explica.





Christine Vianna fala do projeto Palavra Voando: "A ideia é que um escritor leia a poesia de outro autor, divulgando-a e fazendo-a circular entre mais pessoas “
Christine Vianna fala do projeto Palavra Voando: "A ideia é que um escritor leia a poesia de outro autor, divulgando-a e fazendo-a circular entre mais pessoas “ | Carlos Bozelli/ Divulgação
 



A ideia tem sido bem recebida e, segundo Vianna, a adesão já conta com 25 vídeos enviados em poucos dias de divulgação. “É uma boa receptividade, por meio das redes sociais e de cada autor, fazemos as palavras voarem até mais pessoas”. Vianna explica que a interpretação dada à poesia conta muito, a forma escolhida de apresentá-la e torná-la peculiar promete tornar a atração ainda mais especial.



Entre nomes que são referência na poesia londrinense,  ela cita Bernardo Pellegrini, Célia Musilli, Maurício de Arruda Mendonça, Mário Bortolotto, Marcos Losnak, Nelson Capucho. “Londrina é um celeiro cultural nomes como Edra Moraes, Felipe Pauluk e Samantha Abreu surgiram e pretendemos com esses projetos descobrir muitos outros”. E aos que ainda têm pouca intimidade com a poesia, sugere Adélia Prado, Cecília Meirelles e Paulo Leminsk. “Não precisa ter medo da poesia, ela é lúdica, metafórica e reverbera o pensamento”.



Palavra Voando faz parte da programação do Londrix - Festival Literário de Londrina, que em 2020 chega

à sua 16ª edição com o tema “Literatura e Educação”. O nome Palavra Voando batiza a prática porque assim é a ação nas redes sociais. “As palavras voam, se transmitem com rapidez pelo mundo a ponto de não sabermos a repercussão que vai ter, é isso é maravilhoso, pensar que a poesia pode ter esse um alcance”, reflete.



Do ponto de vista da produtora cultural, a quarentena pode ter um papel transformador. “Estamos

experimentando como o outro faz falta, como o abraço, o beijo, o olho-no- olho e o amor são importantes. E reflete: “Estamos nos dando conta de como devemos pensar no outro, como nos fortalecermos e de sermos mais verdadeiros”.



Para falar dos poetas, ela  compartilha um pensamento do escritor norte-americano Jack Kerouac, um ícone da cultura beat: "Aqui estão os loucos. Os desajustados. Os rebeldes. Os criadores de caso. Os pinos redondos nos buracos quadrados. Aqueles que veem as coisas de forma diferente. Eles não curtem regras. E não respeitam o status quo. Você pode citá-los, discordar deles, glorificá-los ou caluniá-los. Mas a única coisa que você não pode fazer é ignorá-los. Porque eles mudam as coisas. Empurram a raça humana para a frente. E, enquanto alguns os veem como loucos, nós os vemos como geniais. Porque as pessoas loucas o bastante para acreditar que podem mudar o mundo, são as que o mudam".

 

  

Novas formas, outras plataformas


Márcio Aquiles criou um projeto no Instagram com poesias visuais
Márcio Aquiles criou um projeto no Instagram com poesias visuais | Divulgação
 


O escritor e crítico de teatro paulistano Márcio Aquiles tem um novo projeto  “A Implosão do Significante Paranoide na Constelação de Aquário” feito de poesias visuais publicadas em seu perfil no Instagram (@marcioaquiles). 


O autor conta que seu sétimo livro, “A Odisseia da Linguagem no Reino dos Mitos Semióticos”, a ser lançado ainda este ano, foi um trabalho árduo, muito cerebral, exaustivo para escrever. “Foram muitos meses trabalhando nele, trata-se de uma epopeia de três mil versos. Estava com vontade de executar um projeto mais ligeiro, de comunicação direta, pelo Instagram, então criei essa série, “A Implosão do Significante Paranoide na Constelação de Aquário”, no começo deste ano”, explica.  “Mal sabia eu que entraríamos em quarentena, quando a literatura  se torna ainda mais necessária como ferramenta não apenas para o desenvolvimento pessoal cognitivo, ético  etc, mas também como meio de entretenimento para enfrentar o vazio dos dias”, acrescenta.


Responsável pelas  Relações Internacionais da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, Aquiles observa que um lado importante desse projeto é a leitura rápida. “Existe um conceito imagético para cada poema, espero que os leitores estejam gostando", diz.

Entre suas influências, destaca os precursores dos poemas concretos  como Edward Estlin Cummings, Étienne Mallarmé, Ezra Pound e James Joyce, como fundamentais para seu desenvolvimento intelectual e artístico. “Meu trabalho com poesia é, de certo modo, tardio. Comecei a escrever poemas ao 30 anos, quando já tinha produzido muita coisa em prosa e para teatro".


Sobre a resposta de quem o observa, confessa: “Ainda não tive muito feedback, pois era pouco ativo nas redes sociais até então. Agora, contudo, com esse projeto, estou dando mais atenção às plataformas digitais. Nessa próxima semana, de 6 a 12 de abril, inclusive, participo com esse projeto do Quarentena Festival (a programação foi divulgada oficialmente no dia 1/4, pelo site da SP Escola de Teatro), junto com artistas do Brasil, Chile, Suécia, Finlândia e vários outros países. Haverá literatura, teatro, cinema”, diz.


.
. | Divulgação
 

.
. | Divulgação
 



Serviço:

Confiram os seguintes sites para conhecer projetos de arte em quarentena:

http://kurumata.com.br/2020/03/14/em-tempos-de-coronavirus/

 www.londrix.com.br

https://faziapoesia.com.br/

https://www.spescoladeteatro.org.br/noticia/poesia-visual-em-tempos-de-quarentena/




Confira aqui um video-poema do projeto Palavra Voando.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Tudo sobre:


Continue lendo


Últimas notícias