France Presse
‘‘Beleza Americana’’, a crítica comédia sobre uma família de classe média, foi a grande vencedora da 72ª edição do Oscar, em uma noite carregada de emoção e também algumas surpresas. A obra-prima do britânico Sam Mendes ganhou o Oscar de melhor filme, melhor diretor, melhor ator para o protagonista Kevin Spacey, melhor roteiro original para Alan Ball e melhor fotografia em uma impressionante reta final na cerimônia celebrada no auditório Shrine de Los Angeles.
‘‘Este é o ponto alto de meu dia. Espero que agora não comece a dar tudo errado’’, disse Spacey, depois de receber a estatueta por sua interpretação de um homem maduro, cansado de sua vida acomodada e que, por isso, resolve recuperar tudo o que perdeu no caminho do chamado ‘‘sonho americano’’.
Ninguém teria apostado, há seis meses, quando este filme de apenas US$ 15 milhões surgiu nas telas, que Kevin Spacey ia levar o prêmio mais ambicionado da sétima arte. Os estúdios, que consideravam-no pouco comercial, negaram-se a produzi-lo, e tiveram de engolir a consagração da DreamWorks.
Ao receber a estatueta das mãos de Steven Spielberg, co-fundador do jovem estúdio, Sam Mendes agradeceu à DreamWorks ‘‘por seu valor ao contratar um inglês do teatro para fazer um filme sobre os subúrbios norte-americanos’’.
A única decepção de ‘‘Beleza Americana’’ foi a derrota de Annette Bening na categoria de melhor atriz, onde brilhou a revelação Hilary Swank por sua impressionante interpretação de ‘‘Meninos não Choram’’, um modesto filme independente baseado em uma história real.
Swank fez uma menção especial à verdadeira Brandon Teena, uma moça sexualmente confusa e que foi assassinada em 1993 por ter se feito passar por um rapaz. ‘‘Seu legado está vivo em todo nosso filme, e nos recorda que sempre devemos ser nós mesmos, sempre devemos seguir o que dita nosso coração e que não nos conformemos’’, disse a jovem atriz de 25 anos.
Depois de uma tentativa frustrada há onze anos com ‘‘Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos’’, o cineasta espanhol Pedro Almodóvar conquistou finalmente a meca do cinema com seu mais recente trabalho, ‘‘Tudo Sobre Minha Mãe’’, premiado com o Oscar de melhor filme estrangeiro.
Uma de suas protagonistas, Penélope Cruz, acompanhada por Antonio Banderas, foi encarregada de abrir o envelope do ganhador e, ao anunciar o vencedor, inspirou-se em Sophia Loren no ano passado e soltou um estridente ‘‘Peeeeedro... ’’ para depois abraçar emocionada o diretor.
Almodóvar, que dedicou o prêmio a todos os espanhóis e, nos bastidores, comentou que, se ganhar o Globo de Ouro já foi ‘‘um orgasmo’’, levar o Oscar foi ‘‘um orgasmo múltiplo’’.
O prêmio de melhor atriz coadjuvante foi para Angelina Jolie, que, com sua interpretação de uma louca rebelde internada em uma instituição mental em ‘‘Garota Interrompida’’, seguiu os passos de seu pai famoso, John Voight, vencedor do Oscar de melhor ator em 1978 por ‘‘Amargo Regresso’’.
O veterano britânico Michael Caine ganhou seu segundo Oscar de melhor ator coadjuvante, depois de ‘‘Hannah e suas Irmãs’’ (1986), por seu papel de médico viciado em éter e que pratica abortos ilegais em ‘‘Regras da vida’’. Foi dele o discurso mais emocionante da noite, ao citar e elogiar um a um todos seus concorrentes na categoria.
Surpreendentemente, o segundo filme mais premiado da noite foi o futurista ‘‘The Matrix’’, que ficou com as quatro estatuetas nas categorias para as quais foi indicado: montagem, som, edição de som e efeitos especiais.
Um dos momentos mais emotivos foi quando Warren Beatty recebeu das mãos de Jack Nicholson o prêmio Irving Thalberg que recompensa sua carreira de produtor, enquanto os presentes o aplaudiram de pé, sob o olhar emocionado de sua esposa, Annette Bening, prestes a dar à luz seu quarto filho.
A cerimônia teve quatro horas e cinco minutos de duração, contrariando os organizadores que não queriam algo tão longo.Filme de Sam Mendes conquista cinco estatuetas na 72ª edição do maior prêmio do cinema mundial
Fotos: France PresseO britânico Sam Mendes ficou com o prêmio de melhor diretor por sua ácida comédia ‘‘Beleza Americana’’Por encarnar um homem cansado de sua vida acomodada, em ‘‘Beleza Americana’’, Kevin Spacey foi eleito o melhor atorHilary Swank levou a estatueta de melhor atriz pela impressionante interpretação em ‘‘Meninos não Choram’’O veterano Michael Caine e a novata Angeline Jolie foram os protagonistas na categoria ‘‘atores coadjuvantes’’Hollywood finalmente se rendeu a Pedro Almodóvar que recebeu o Oscar de melhor filme estrangeiro com ‘‘Tudo Sobre Minha Mãe’’