Caetano Veloso e filhos: "Quero cantar com eles pelo que isso representa de celebração e alegria, sem dar importância ao sentido social da herança"
Caetano Veloso e filhos: "Quero cantar com eles pelo que isso representa de celebração e alegria, sem dar importância ao sentido social da herança" | Foto: Jorge Bispo/ Divulgação



Um dos mais celebrados shows deste ano, o espetáculo que marca o afetuoso encontro de Caetano Veloso com seus filhos Moreno, Zeca e Tom vai se transformar em álbum que será lançado em 2018 no formato CD e DVD. O primeiro single do novo trabalho chega às plataformas digitais esta semana trazendo o registro da música "Todo Homem", uma das mais aplaudidas canções da turnê que chega a Curitiba nesta quinta-feira (21), às 21 horas. A apresentação na capital paranaense acontece no Teatro Positivo.

O repertório do show da família Veloso conta com clássicos da MPB assinados pelo patriarca da turma e músicas compostas pelos novos herdeiros do clã. "Apresentaremos algumas dessas coisas que cresceram em nós, de nós. E canções minhas escolhidas por eles. 'O Leãozinho', que os filhos de tanta gente pedem, os meus não deixaram de pedir. E coisas como Reconvexo têm de estar ali confirmando a linhagem. Há clássicos de Moreno e canções novas de todos (inclusive minhas)", adianta Caetano no texto de apresentação de sua turnê familiar.

Quanto à sonoridade do espetáculo, o autor de "Alegria, Alegria" conta que nas primeiras conversas ele e os filhos planejavam chamar um pequeno grupo de músicos para enriquecerem os arranjos. "Mas, ensaiando, decidimos ficar só os quatro no palco. O som será mais para o acústico e muito singelo. Eu sou o único que só toca violão. Os outros podem se revezar em alguns instrumentos. É um show familiar, nascido da minha vontade de ser feliz. Ter filhos foi a coisa mais importante da minha vida adulta", afirma.

Caetano conta que há muito tempo sentia vontade de fazer música junto aos filhos publicamente. "Desde a infância de cada um deles gosto de ficar perto. Sempre cantei para eles dormirem. Indo por caminhos diferentes, todos se aproximaram da música a partir de um momento da vida. Moreno, que nasceu vinte anos antes de Zeca, formou-se em física. Tom, que nasceu cinco anos depois de Zeca, só gostava de futebol. Moreno e Tom já se profissionalizaram como músicos. Zeca, depois de passar parte da adolescência experimentando com música eletrônica, começou a compor solitariamente. Quero cantar com eles pelo que isso representa de celebração e alegria, sem dar importância ao sentido social da herança".

As peculiaridades musicais de cada filho são destacadas pelo pai famoso. "Moreno(44 anos) tem uma linha criativa extremamente refinada. Os trabalhos com o grupo +2 são uma marca profunda e duradoura da sua geração. Seu disco individual é um dos mais belos exemplos de delicadeza da história da canção brasileira. Tom (20), no começo, nem ligava pra música. Hoje faz parte da banda Dônica e é, de nós quatro, o mais naturalmente dotado para as relações entre as alturas, os tempos e todos os signos musicais. Zeca (25), que sempre adorou música, justo quando achava que não havia para si mesmo um caminho nessa atividade, compôs um grupo de canções comoventes. Ao ouvir uma delas, Djavan exigiu que ele a mostrasse em público. Ele resistiu, mas nesse show finalmente obedecerá a Djavan", revela o baiano.

Serviço:
Show Caetano, Moreno, Zeca e Tom Veloso
Quando – Quinta-feira (21), às 21 horas
Onde - Teatro Positivo Grande Auditório (R. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300 - Curitiba)
Quanto – R$ 60 a R$ 440
Ingressos à venda no site www.diskingressos.com.br


Single 'Todo Homem' está nas plataformas digitais

Composição inédita de Zeca Veloso cantada em falsete pelo próprio autor, a música "Todo Homem" foi escolhida como o primeiro single do álbum que traz o registro ao vivo da turnê Caetano, Moreno, Zeca e Tom Veloso. A faixa será lançada nas plataformas digitais nesta quinta-feira (21). Já o CD e DVD que traz o registro de um show gravado ao vivo de um show realizado em São Paulo, no mês de outubro, deve ser lançado no início de 2018.

Além de sucessos acumulados por Caetano em mais de cinco décadas de carreira artística como "Força Estranha", "Oração ao Tempo" e "Alguém Cantando", o novo álbum resgata canção menos conhecidas do baiano. É o caso de "Ofertório", tema religioso que Caetano compôs em 1997 especialmente para a missa que celebrou os 90 anos de Dona Canô, sua mãe falecida há cinco. Também fazem parte do roteiro músicas assinadas por seus filhos. Dentre elas "Clarão" (Tom Veloso), "Um passo à frente" (Moreno Veloso eaQuito Ribeiro) e "Você me deu" (Caetano e Zeca Veloso). (M.R.)