Elisa Marilia Carneiro
De Curitiba
Ao misturar instrumentos e a formação técnica dos componentes, a Orquestra do Conservatório de MPB de Curitiba, fica marcada pelo ecletismo e pela criatividade. Regida pelo maestro Roberto Gnattali, o grupo apresenta-se, hoje, às 21 horas, no Teatro da Reitoria, como parte da programação da 8ª Oficina de MPB.
As grandes parcerias de Vinícius de Moraes dão um tom especial ao show. Com Toquinho, compôs ‘‘Tarde em Itapoᒒ, com Baden Powell, ‘‘Canto de Ossanha e ‘‘Berimbau’’, e com Edu Lobo, ‘‘Arrastão’’. Além dessas, a orquestra toca ‘‘Canto Latino’’, de Milton Nascimento; ‘‘Canções Brasileiras nº3’’, de Radamés Gnattali; ‘‘Na cadência do samba’’, de Luiz Bandeira; ‘‘Assanhado’’, de Jacob do Bandolim; ‘‘Frevo’’, de Egberto Gismonti, entre outros.
Numa segunda parte, a orquestra executa composições de Milton Nascimento, Tom Jobim, Egberto Gismonti, Jacob do Bandolim, Radamés Gnattali, Paulinho da Viola e Osiel de Souza. O grupo apresenta também a composição ‘‘Divertimento’’, criada por um dos membros da orquestra, o tecladista Osiel de Souza.
Mantida pela Fundação Cultural de Curitiba, a Orquestra do Conservatório de MPB foi criada em 1992 integrando os corpos artísticos da instituição. O idealizador e diretor artístico da orquestra é o maestro Roberto Gnattali. Segundo ele, a proposta é preservar, recriar e divulgar a obra dos grandes maestros de MPB, do passado e da atualidade, além de promover e difundir o trabalho de novos compositores e arranjadores.
A formação diversificada dos componentes da orquestra permite, de acordo com Gnattali, executar com precisão os mais variados gêneros da música brasileira, das modinhas a ritmos atuais, passando por choro, samba, frevo, maracatu e baião.
Show com a Orquestra do Conservatório de MPB. Teatro da Reitoria, em Curitiba, hoje, às 21h, com entrada franca.