Ranulfo Pedreiro
De Londrina
Houve um tempo em que o rock não conhecia peso. As transformações sofridas durante a eclosão punk ganhou um formato soft para a indústria fonográfica. As guitarras foram amenizadas e o som ganhou uma característica dançante. Era o início da época new wave, que assolou o Brasil nos anos 80 e expurgou os pedais de distorção.
Nesse mesmo período, uma corrente menos popular – e que não tinha destaque nas rádios – proveniente da década de 70, tomou forma e ganhou espaço entre os adolescentes. O heavy metal cresceu encabeçado por bandas como Iron Maiden, Judas Priest e Accept. Mas, como aconteceu com o punk, a indústria do disco adocicou o som e desembocou no mercado o metal-farofa: roupas de oncinha, guitarras listradas e tiaras de bolinha envergonharam quem gostava do estilo. O heavy entrou em exílio.
O afastamento durou até há uns três anos. Em 1999, os destaques do rock ficaram com um selo que resgatou o gênero: o Megahard, gravadora do Fates Prophecy, banda paulista que está participando do tributo americano ao Iron Maiden, ao lado de Sebastian Bach, Holy Mother e Ian Perry.
E foi justamente pela Megahard que saiu o primeiro CD da banda londrinense de heavy metal Silver Blade. O disco ‘‘Old And Real Thoughts’’ surgiu a partir de um CD demo bem gravado e distribuído. O Silver Blade gravou o demo em agosto de 1998, e partiu para a divulgação via Internet, boca a boca, fax, enfim, do jeito que foi possível. O grupo chegou a ganhar elogios na ‘‘Rock Brigade’’, revista especializada que considerou o disco um dos melhores demos do ano.
Em seguida surgiu um show em São Paulo, que aproximou o Silver Blade do pessoal da Megahard. O convite para gravar foi feito e a resposta afirmativa saiu na hora. Após um trabalho intenso de mixagem e regravação, além da inclusão de duas inéditas, o CD saiu do forno. Os lançamentos ocorreram nos dias 12 de dezembro em Maringá e 18 em Londrina.
A banda tem apenas dois anos de estrada, mas apresenta segurança com uma pegada forte e composições próprias. As letras, em inglês, traduzem a atmosfera do heavy metal, revelando contornos medievais. ‘‘Temos referências infinitas de metal, de progressivo, música clássica e thrash, a gente usa todas essas coisas para dar efeito’’, comenta Fábio Vieira, baterista. ‘‘Old and Real Thoughts’’ não esgotou as composições da banda, que, na seleção do repertório, ainda deixou várias músicas de fora.
O estilo segue os contornos do heavy dos anos 80: rock pesado, porém melodioso. Os vocais obedecem a linha de Bruce Dickinson. O disco roda, portanto, em caminhos diferentes do rock gutural do Sepultura e Soulfly, aproximando-se mais de Judas Priest e Helloween.
O som tem qualidade e provoca surpresas. Além de atrair antigos fãs, o heavy metal aparece como novidade para o público mais jovem. ‘‘O pessoal achava que o heavy metal era death metal ou thrash metal, mas agora percebe que é um estilo limpo e bonito. Para a molecada nova é uma surpresa’’, lembra o guitarrista Roney Lopes. Para os headbangers – fãs do gênero – antigos ou novos, o vocalista Marcos Brandfer resume: ‘‘Se o heavy está morto, virou zumbi e levantou há muito tempo.’’ A formação ainda inclui Ramon Malaguido na guitarra e Elizeu Peretti no baixo. ‘‘Old and Real Thoughts’’ pode ser encomendado pela Megahard, pelo telefone (11) 224-0709, pelo e-mail [email protected] ou pela home page da banda: www.sercomtel.com.br/silverblade.Banda londrinense Silver Blade lança o primeiro CD pela gravadora Megahard, especializada em heavy metal
Robson Budernik/DivulgaçãoCom apenas dois anos de estrada, a banda Silver Blade demonstra segurança com pegadas fortes e composições próprias que podem ser conferidas no CD recém-lançado