|
  • Bitcoin 103.220
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Nas férias, diversão deve combinar com segurança

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 10 de janeiro de 2007

Beth Debertolis<br>Editora
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

  Garantir que tudo saia perfeito, da saída ao retorno para a casa, é uma das tarefas dos pais no momento em que programam as viagens, os passeios, as diversões dos filhos durante as férias, estando ou não na companhia deles durante a programação. É disso também que, entre outros pontos, cuida a Associação Férias Vivas (www.feriasvivas.org.br), ong que tem como missão ‘‘educar para o lazer e o turismo seguro e responsável’’.
  Para que toda e qualquer possibilidade de transtorno seja afastada, Férias Vivas alerta sobre a necessidade de se observar algumas regras básicas. ‘‘A primeira delas é ter consciência de que acidentes podem ocorrer. A segunda, que eles podem ser evitados. A partir daí basta seguir os outros passos, sabendo que a segurança é o nosso maior patrimônio’’, ressalta Sílvia Basile, presidente e uma das fundadoras da Ong.
  Férias Vivas é uma entidade sem fins lucrativos, que nasceu em 2002 com a missão de ‘‘educar para o turismo seguro’’. Motivada por uma tragédia pessoal a fundar a ONG, a diretora-presidente Sílvia Basile explica: ‘‘O nosso foco é a prevenção e a segurança em turismo e lazer; a nossa missão, minimizar os acidentes nessas áreas. Assim, o conceito da Férias Vivas é o de preservar a vida humana, perseguindo o lema ‘pratique com segurança’. O que permeia tudo isso é a idéia de que com segurança você vai mais longe’’.
  A partir dos acidentes e incidentes envolvendo turistas que chegaram ao conhecimento da Ong foi possível fazer um levantamento empírico. Sílvia Basile afirma que o afogamento é o tipo de acidente mais comum envolvendo turistas, e o que causa mais mortes, seguido por caminhadas, cavalgadas e ciclismo. No verão, quando aumenta a procura pelas praias, aumenta também o número de afogamentos.
  Os problemas com as caminhadas vão desde perder-se nas trilhas em matas até picadas de insetos e falta de equipamentos. As cavalgadas, apesar de causarem acidentes leves, podem também levar o turista à morte. Já o ciclismo causa, geralmente, acidentes leves ou moderados.
  A Ong conta com o trabalho voluntário e permanente de um grupo de profissionais atuantes em áreas diversas e tem sempre a adesão de amigos e simpatizantes à causa nos momentos que exigem mais disponibilidade de tempo, como a participação em evento, por exemplo.
  Os interessados em conhecer mais sobre a atuação da Férias Vivas, seu histórico, dicas, publicações, produtos, como tirar dúvidas, entre outros, devem acessar o site www.feriasvivas.org.br. Confira no infográfico as dicas da ONG e tenha boas férias.